terça, 24 de novembro de 2020

Política
Compartilhar:

Após três meses na prisão, Delcídio retarda retorno ao Senado Federal

Folhapress De Brasília / 23 de fevereiro de 2016
Foto: Arquivo
Solto desde a sexta-feira, o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) postergará o seu retorno ao Senado após ter passado quase três meses na prisão. De acordo com sua assessoria de imprensa, o senador não comparecerá à Casa hoje, como era esperado, porque ainda precisa resolver questões jurídicas com seus advogados para viabilizar seu retorno, além de passar por um check-up médico antes de retomar os trabalhos.

Algumas das questões que devem ser dirimidas com os advogados, segundo a assessoria do senador, será o seu horário de trabalho. Na decisão proferida pelo ministro do STF Teori Zavascki, que levou à soltura de Delcídio, o ministro afirma que ele poderá frequentar o Congresso durante o dia, mas deverá ficar em prisão domiciliar à noite e nos dias de folga.

Como é comum que as sessões deliberativas do Senado se estendam ao longo da noite, a defesa do senador quer esclarecer até que horas ele poderá permanecer no Congresso.

Outro ponto que deverá ser analisado pelos advogados se dá em relação à sua atuação nas comissões temáticas da Casa. Delcídio era presidente da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos), tida como uma das mais importantes do Congresso, até ser preso, em 25 de novembro do ano passado. Delcídio deverá renunciar à presidência da comissão.

Na semana passada, o PT apresentou um ofício à presidência do Senado pedindo a destituição do senador da comissão. Para o seu lugar, o partido indicou o senador Donizeti Nogueira (PT-TO).

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas