terça, 13 de novembro de 2018
Política
Compartilhar:

Aguinaldo Ribeiro afirma que eleições de 2018 são ‘não-eleições’

Adriana Rodrigues / 12 de outubro de 2018
Foto: Reprodução
Reeleito como a segunda maior votação da Paraíba, o líder do Governo na Câmara Deputados, Aguinaldo Ribeiro (Progressista), afirmou que as eleições deste ano pode ser chamada de a ‘não-eleição’. Segundo ele, não há preocupação com as propostas para o Brasil e nem e nem com o debate ideológico, mas com a exclusão de candidatos.

Ele disse que não viu nenhum candidato apresentar uma proposta para o País. “A gente teve uma eleição da não eleição: de quem não vamos eleger. O Brasil precisava ter uma saída de centro, pois o ambiente no País está dividido, polarizado, hostil, um ambiente de intolerância, por isso eu temo pelo pós-eleição”, declarou.

Em entrevistas que concedeu nessa quinta-feira (11) aos programas Correio Debate, da Radio 98FM/e da TV Correio/Record, Aguinaldo disse que irá fazer uma análise, nesse segundo turno das eleições presidenciais, para decidir a quem irá apoiar, entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), mas ressaltou que o cenário que está posto no Brasil não é o ideal, mas ressaltou, no entanto, que é preciso votar com muita responsabilidade para errar o mínimo possível e deve tomar uma posição até o dia 28.

“Agora, eu vou levar em consideração, obviamente, eu sou cristão, creio nos valores da família, aliás na minha campanha toda eu preguei isso, porque acho que um dos principais problemas que nós temos hoje e termina desviando a nossa sociedade é o ataque que foi feito à família brasileira ao longo desse tempo”, argumentou, afirmando que o desvio da família leva jovens a agredirem professores em sala de aula e as pessoas a não respeitarem autoridades nem as instituições, levando a um desequilíbrio institucional. “Nós precisamos resgatar esses valores”, defendeu.

De acordo com Aguinaldo Ribeiro, Ciro era uma alternativa para romper a polarização, que está exaurindo o ambiente político, de criminalização da política e dos políticos. “O que Bolsonaro está incorporando é essa legião de brasileiros que estão dizendo não ao PT, na verdade é isso”, comentou.

Trabalho pela Paraíba

Aguinaldo Ribeiro disse que continuará trabalhando pela Paraíba, como vem fazendo como parlamentar e fez quando atuou como ministro das Cidades, e procurou sempre destinar recursos para Paraíba e ajudar o Governo estadual, mesmo sendo oposição, atuou para destravar projetos e liberar recursos para o Estado.

O parlamentar reeleito, também adiantou como será sua postura em relação ao governador eleito João Azevêdo (PSB). Ele disse que se manterá na oposição, mas não de maneira raivosa, e muito menos em um ambiente hostil, mas servindo como um fiscal, cobrando o que deve ser cobrado, mas ajudando sempre que necessário.

Além disso, ele espera que João Azevêdo faça um bom governo, sem restrições a nenhuma cidade, principalmente a Campina Grande. “Quem é eleito é eleito para ser governador de todos”, comentou.

Aguinaldo lembrou a ajuda que deu ao governador Ricardo Coutinho durante todo o processo de destrave da obra do Viaduto do Geisel e os recursos que liberou para o término da referida obra. “Eu acho que a oposição também tem um papel importante e não o de ser oposição apenas por ser. Até porque eu era de oposição, mas sempre ajudei o governador Ricardo Coutinho, por exemplo o viaduto do Geisel nós colocamos R$ 20 milhões, embora o governador não tenha registrado isso publicamente, e eu nunca cobrei também porque acho que é obrigação minha, mas é importante dizer que aqui mesmo na oposição eu ajudei” revelou.

O líder do Governo na Câmara dos Deputados ressaltou que torce para que João Azevêdo faça um bom mandato porque do contrário estaria torcendo contra a Paraíba. “Eu vejo a política de forma mais madura, eu acho que a oposição tem um papel importante de apontar erro e cobrar e fiscalizar, não de forma odienta e raivosa, nada disso e acho que esse será o nosso papel, eu quero desejar ao governador eleito que ele faça um bom governo porque eu torço pela Paraíba diferente de outros que torcem pelo projeto pessoal, eu não vou fazer isso, vou torcer pelo meu estado” declarou.

O deputado disse, ainda, que passada as Eleições, o seu compromisso será o de continuar defendendo o Estado, colocando emendas para atender a Paraíba no Orçamento Geral da União (OGU) para 2019. A meta dele é que a Paraíba seja sempre contemplada e tenha seus pleitos atendidos.

Relacionadas