terça, 22 de agosto de 2017
Nacional
Compartilhar:

‘Lula terá poderes necessários para ajudar o Brasil. Ele vem com capital político’, diz Dilma

Nice Almeida / 16 de março de 2016
Foto: Divulgação
"Lula terá poderes necessários para ajudar o Brasil". Foi com essa frase que a presidente da República Dilma Rousseff (PT) resumiu como deverá ser a atuação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à frente da Casa Civil. A nomeação dele foi confirmada nesta quarta-feira (16) pelo Palácio do Planalto e provocou reações imediatas no mundo político e econômico. Enquanto governistas dizem acreditar na superação da crise com esse anúncio, opositores falam em manobra política.

Mas para Dilma, a ida de Lula para o Ministério fortalece o governo. "Mas tem gente que não quer o fortalecimento do meu governo. Sinto muito, ele veio", respondeu acrescentando que "ele vem com capital político. Ele é um hábil articulador e me deixa muito confortável. Nós temos seis anos de trabalho cotidiano juntos e eu estou muito feliz".

Dilma negou que Lula tenha feito exigências para assumir a Pasta. "Eu digo que isso não é do perfil dele. Ele não age dessa forma. Ele tinha dúvidas ligadas a situação do confronto que a oposição poderia fazer sobre suas razões e essa dúvidas foram superadas. Ontem nós já tínhamos a decisão, mas aprofundamos hoje", declarou.

Com relação a acusação de manobra feita pela oposição para dar a Lula foro privilegiado, a presidente afirmou que não há que se falar nisso e alegou que a nomeação de Lula não impedirá as investigações que contra o ex-presidente continuem. "Isso não é impedir a investigação, é que ela será em outra instância. O judiciário brasileiro tem uma estrutura, a lei é clara.Todos os outros têm foro privilegiado e porque só com ele vem essa hipótese?", indagou.

A presidente Dilma diz que o foro privilegiado não significa que um político não será investigado, mas que ele será investigado pelo STF.

A presidente Dilma disse, ainda, que sua relação com Lula permanece sólida. "Minha relação com Lula não é de poderes ou superpoderes. Tem seis anos que vocês tentam me separar do Lula, mas a minha relação com o Lula é uma solida relação de quem constrói um projeto. O Lula terá os poderes necessários para ajudar o Brasil, o que ele puder fazer para ajudar irá fazer", concluiu.

 

Relacionadas