sábado, 28 de novembro de 2020

Nacional
Compartilhar:

30% do dinheiro da transposição do São Francisco viraram pó

Redação / 11 de dezembro de 2015
Trinta por cento de todo o dinheiro repassado para investir em dois lotes da transposição do Rio São Francisco viraram pó com o desvio dos recursos que agora é investigado pela Polícia Federal na Operação Vidas Secas - Sinhá Vitória. De acordo com as investigações, dos R$ 680 milhões repassados para o consórcio de empresas responsáveis pelo trecho da obra que fica entre Pernambuco e Paraíba, R$ 200 milhões foram desviados.

LEIA MAIS: PF investiga superfaturamento em obras do São Francisco

Na manhã desta sexta-feira (11) a Polícia Federal prendeu temporariamente quatro diretores das empresas Galvão Engenharia, OAS, Coesa e Barbosa Mello suspeitos de envolvimento no superfaturamento e desvio.

As obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco devem ser entregues a partir deste ano, com previsão final entre dezembro de 2016 e início de 2017.Ainda não se sabe se o desvio dos recursos irá comprometer o andamento da obra que, de acordo com o Ministério da Integração, no trecho que passa pela Paraíba  77,8% de execução física. No Estado, a transposição compreende dois Eixos de transferência de água (Norte e Leste) do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

A PF explicou que o nome da operação, Sinhá Vitória, representa a mulher do sertão, que não se rende à miséria. Uma personagem descrita no livro Vidas Secas, de Graciliano Ramos, como uma mulher forte, que fazia as contas do pagamento recebido do dono da fazenda onde trabalhavam sempre chegando à conclusão de que eram roubados.

 

Relacionadas