sexta, 18 de agosto de 2017
Nacional
Compartilhar:

A repercussão: líderes da oposição e da situação reagem ao pedido de prisão de Lula

Redação com agências / 11 de março de 2016
Foto: Internet
O pedido de prisão preventiva feito pelo Ministério Público de São Paulo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva caiu como uma bomba no território político brasileiro ontem (10). Mas a repercussão foi negativa até mesmo entre os opositores do petista. O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, e o presidente do Democratas, José Agripino Maia, criticaram a ação e pediram cautela. Já o Instituto Lula acusou um dos promotores que agem no processo contra Lula de usar o cargo com fins eleitoreiros.

LEIA MAIS: Ministério Público pede prisão de Lula

Cássio disse que é preciso ter prudência e criticou o pedido de prisão preventiva de Lula. "Não estão presentes os fundamentos que autorizam o pedido de prisão preventiva, até porque  o Ministério Público Federal e a Polícia Federal fizeram buscas e apreensões muito recentemente, à procura de provas. Vivemos um momento incomum na vida nacional. É preciso ter prudência”, afirma o líder tucano, em nota à imprensa.

O presidente do DEM, José Agripino Maia (RN), destacou que o momento é de agir com sensatez e prestigiar as instituições. Para o senador, como o embasamento do pedido está em segredo de Justiça, a decisão da juíza que analisará o caso é que dirá sobre a procedência dos fatos que levariam à decretação da prisão.

“É um momento de grande tensão. Trata-se da decretação de prisão preventiva de um ex-presidente da República que leva a que o país todo veja com muito equilíbrio os fatos que vão se suceder”, disse Agripino.

Instituto Lula

o Instituto Lula voltou a negar, em nota, que Lula seja dono do apartamento triplex, em Guarujá (SP), alvo da investigação do Ministério Público. No documento, o instituto critica a atuação do promotor Cássio Conserino, responsável pelo caso. “O promotor paulista que antecipou sua decisão de denunciar Luiz Inácio Lula da Silva antes mesmo de ouvir o ex-presidente dá mais uma prova de sua parcialidade ao pedir a prisão preventiva de Lula”, diz a nota.

Para o Instituto Lula, o pedido de prisão preventiva do ex-presidente é uma “triste tentativa” do promotor de usar o cargo dele para fins políticos. “Cássio Conserino, que não é o promotor natural deste caso, possui documentos que provam que o  ex-presidente Lula não é proprietário nem de triplex no Guarujá nem de sítio em Atibaia, e tampouco cometeu qualquer ilegalidade. Mesmo assim, solicita medida cautelar contra o ex-presidente em mais uma triste tentativa de usar seu cargo para fins políticos".

A reação de Lula

O líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), estava com o ex-presidente Lula, em São Paulo, quando ele foi informado do pedido de prisão preventiva feito pelo Ministério Público. Humberto Costa disse que Lula reagiu com "total tranquilidade". O senador classificou de "absurda" e uma "ação midiática" a atuação do Ministério Público de São Paulo. Para o senador petista, foi algo dirigido.

O presidente do PT, Rui Falcão, estava na reunião com o ex-presidente e disse que Lula está tranquilo. Falcão classificou o pedido de prisão preventiva de Lula de tresloucado.

Relacionadas