quarta, 19 de dezembro de 2018
Japão
Compartilhar:

Cinema exibe produções de ação nipônicas em sessões especiais

André Luiz Maia / 29 de agosto de 2018
Foto: Arquivo
A animação japonesa teve seu ápice no Brasil durante o início da década de 2000 e, de lá para cá, se estabilizou como uma cultura de nicho que atrai cada vez mais adeptos. Diante disso, a rede Cinépolis, em parceria com a Sato Company, traz para várias de suas unidades o Festival de Ação Japonês, com três produções do país asiático, entre animes (animações) e live-action (com atores).

João Pessoa está incluída no roteiro e recebe hoje a primeira das atrações, Bunkou Stray Dogs: Dead Apple. Em setembro, no dia 19, é a vez do live-action Tokyo Ghoul, baseado no mangá (HQ japonesa) homônimo. No dia 26, encerrando a programação, será exibido Bravestorm, uma produção no estilo tokusatsu, à la Ultraman, Jaspion e séries como Changeman, que deram origem à franquia Power Rangers.

Bunkou Stray Dogs é uma narrativa seriada de sucesso no Japão, surgida inicialmente como um mangá e logo adaptada para a televisão, em um anime em duas partes. Dead Apple se situa entre as duas temporadas, mas, apesar disso, não requer que o espectador tenha assistido à história original para entendê-la, servindo então como uma porta de entrada para o universo da história.

O que é preciso saber da trama é que o protagonista Atsushi Nakajima foi expulso do orfanato em que viveu boa parte da vida. Sem rumo e com fome, sua vida se transforma ao salvar um homem que tentava cometer suicídio pulando em um rio. Ele descobre que se tratava de Dazai Osamu, integrante de uma liga de gênios da literatura munidos de poderes especiais. Eles investigam casos sobrenaturais perigosos demais para a polícia e as forças armadas comuns lidarem.

Na história do filme, a agência está investigando casos suspeitos de suicídios envolvendo pessoas com poderes paranormais. O que chama a atenção da equipe de detetives é uma névoa misteriosa que aparece nos locais dos incidentes. No meio do caminho, eles se deparam com um suspeito, Tatsuhiko Shibusawa, um suspeito que se auto-intitula o Colecionador.

Boa parte dos personagens foi criado com base em grandes autores da história da literatura japonesa e mundial. Dazai Osamu, por exemplo, é considerado um dos maiores escritores japoneses do século XX e terminou sua vida de maneira trágica, se suicidando aos 38 anos junto com sua mulher em um rio perto de casa. Os detalhes da vida de cada um deles foi incorporado a elementos narrativos da história, o que acaba criando uma camada extra de significados no enredo. Outros personagens fazem menção a escritores como Ranpo Edogawa, Agatha Christie, Fyodor Dostoiévski, Edgar Allan Poe, Mark Twain, dentre outros.

Bunkou Stray Dogs se encaixa em um gênero de mangás chamado seinen, com histórias mais adultas, incluindo violência gráfica e tramas psicológicas mais densas, indicada a jovens adultos. No Brasil, as tramas mais conhecidas de animes até então são o shoujo, voltado para meninas adolescentes, a exemplo de Sailor Moon e Sakura Card Captors, e o shounen, voltado para adolescentes homens, como as sagas Dragon Ball e Cavaleiros do Zodíaco e outros nomes como Yu Yu Hakushô e Naruto. A animação é do estúdio Bones, conhecido pela alta qualidade técnica, responsável por obras-primas como Wolf's Rain e o longa Cowboy Bebop: Knockin' On Heaven's Door, além de sucessos como My Hero Academia e Fullmetal Alchemist: Brotherhood.

Relacionadas