quinta, 19 de setembro de 2019
Infraestrutura
Compartilhar:

Chuva causa transtorno nas ruas de João Pessoa

Lucilene Meireles / 08 de maio de 2019
Foto: Assuero Lima
As dificuldades enfrentadas pelo pessoense toda vez que chove, voltaram a acontecer nessa terça-feira (7). Por volta das 7h30, vias como a Avenida Machado de Assis, Tabajaras, Francisca Moura e Coremas, no Centro, estavam tomadas pela água, causando lentidão no trânsito. Outros pontos de alagamento já conhecidos pela população, a exemplo da Avenida Sanhauá, onde fica a estação ferroviária, ficaram intransitáveis. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), que havia previsto chuvas fortes para a terça-feira, emitiu aviso de perigo potencial de chuvas intensas hoje no Litoral, Mata, Agreste e Brejo, que podem ocasionar novos transtornos.

Na manhã de ontem, quem passou pela Avenida Bancário Sérgio Guerra, principal do bairro Bancários, se deparou com acúmulo de água em frente ao Equilíbrio do Ser, causando engarrafamento. A água também atrapalhou os condutores na rotatória do Cajueiro, e na lateral do prédio da Polícia Civil, no Geisel; houve ainda retenção de água no Viaduto do Cristo, próximo à empresa Transnacional.

E a chuva deve continuar. “O aviso foi atualizado para hoje, principalmente para o Litoral, podendo atingir o Agreste e o Brejo, com chuvas de 20 a 30 milímetros (mm) em 1h, e o acumulado de até 50 mm em 24h”, disse o meteorologista do Inmet, Flaviano Fernandes. Até as 9h de ontem, o acumulado em João Pessoa foi de 25 milímetros.Nesta quarta-feira (8), até as 9h, há previsão de descargas elétricas e rajadas de vento em áreas isoladas destas regiões.

Apesar de intensas, as chuvas são normais, conforme o meteorologista. Ele explicou que este é o período chuvoso no Leste do Nordeste. No resto do Estado, Brejo e Curimataú, há bastante nebulosidade. No Cariri e Sertão, está mais aberto. “Agora é período de chuva no Litoral, que vai de abril até agosto, mas em junho e julho chove mais, inclusive nas regiões da Mata, Agreste e Brejo”, acrescentou.

Temperatura. O calor favorece as chuvas. Quando está quente, ocorre mais convecção, ou seja, instabilidade meteorológica. “Com os ventos soprando do oceano, vem mais umidade”, explicou o meteorologista do Inmet, Flaviano Fernandes. Ele informou também que a temperatura começa a cair gradativamente.

“Com relação à mínima, a tendência é que estamos nos aproximando do período do inverno. Mesmo sem chover, a mínima pode continuar baixa de madrugada, entre as 2h e 4h. Se tiver mais nuvens, a tendência é que a mínima suba um pouco, porque as nuvens ‘abafam’. Já a máxima, vai cair com a nebulosidade”, esclareceu. A temperatura máxima, segundo ele, sempre ocorre às 15h, mas deve cair com a chuva. “Quando não ocorre chuva, a tendência é aumentar por conta da radiação solar”, disse.

"Até agosto deve continuar chovendo. Só não está ocorrendo ainda porque os ventos estão para o Sul e, para isso, teriam que estar para o Leste. Tem bastante nuvens no oceano e está quente. Se o vento mudar, a intensidade da chuva pode aumentar" meteorologista do Inmet, Flaviano Fernandes.

Ações preventivas. A Coordenadoria de Defesa Civil de João Pessoa informou que não houve chamado de emergência por conta das chuvas. Mesmo assim, as ações de prevenção estão sendo realizadas. “Estamos trabalhando no bairro São José, São Rafael, Padre Hildon Bandeira, com ações preventivas. Não ocorreu elevação considerável do nível dos rios, mas estamos com equipes de plantão para atender as demandas se necessário”, declarou o coordenador da Defesa Civil de João Pessoa, Noé Estrela.

Para emergências ligue para Defesa Civil de João Pessoa pelo telefone 0800-285-90-20

Relacionadas