segunda, 11 de novembro de 2019
Geral
Compartilhar:

Um em cada cinco motoristas usa celular ao volante em João Pessoa

Beto Pessoa / 25 de junho de 2019
Condutores de João Pessoa seguem sendo imprudentes, é o que apontam os dados da última pesquisa do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde. De acordo com o estudo, 19,57% da população ouvida afirmou que em 2018 fez uso de celular enquanto dirigia. Os condutores da capital paraibana afirmaram ainda ter cometido diversas outras imprudências: 6,46% dirigiram após consumo de bebida alcoólica; 1,25% após consumo abusivo de bebida alcoólica; e 10,08% receberam multa por excesso de velocidade nos 12 meses anteriores.

João Pessoa segue a mesma média do país. Segundo dados do Vigitel, 19,5% da população das capitais brasileiras afirmou ter usado telefone celular ao volante. O percentual mostra que de cada cinco indivíduos, um comete esse ato que é um risco para acidentes de trânsito. De acordo com o estudo, as pessoas com idade entre 25 e 34 anos (25,1%) são as que mais assumem esse comportamento de risco.

Além do uso do celular associado à direção, a pesquisa aborda também outros três importantes indicadores para a ocorrência de acidentes de trânsito: direção e consumo abusivo de álcool; direção e consumo de qualquer dose de álcool e multa por excesso de velocidade.

‘Apressados’

De acordo com a pesquisa, 11,5% da população entrevistada afirmou já ter recebido multas de trânsito por excesso de velocidade. Esse comportamento de risco foi identificado mais em homens (14%) do que em mulheres (7%), na população de 25 a 34 anos (13,4%), e de maior escolaridade (13,1%).

O Distrito Federal é a capital com a maior proporção de casos (15,7%), seguida de Fortaleza (14,6%); Porto Alegre (14,2%); Belo Horizonte (13,9%); e Goiânia (13,7%). Já as capitais com menores índices são Manaus (0,9%); Macapá (2,7%); Belém (5,9%); Campo Grande (7,0%) e Porto Velho (7,1%).

Álcool

O Vigitel 2018 também analisou a mistura de álcool e direção. A proporção de adultos que informaram que conduziram veículos motorizados após consumo de qualquer quantidade de bebida alcoólica foi de 5,3%, sendo maior entre homens (9,3%) do que mulheres (2%). A associação entre consumo de álcool e direção ocorreu principalmente em indivíduos de maior escolaridade (8,6%) e com idade entre 25 e 34 anos (7,9%).

Relacionadas