terça, 16 de julho de 2019
Geral
Compartilhar:

Trio potiguar DuSouto se apresenta em João Pessoa

André Luiz Maia / 19 de maio de 2018
Foto: Giovanna Hackradt
Um som vindo diretamente de Natal é a atração de hoje do Candiêro Café, no Centro de João Pessoa. DuSouto apresenta o show referente ao seu disco mais recente, Conecta, além de canções de outros trabalhos da banda. Completando a noite, vem o DJ Philippe Dias.

DuSouto é um grupo considerado veterano da cena alternativa de Natal, no Rio Grande do Norte. Desde 2003, investem em um som híbrido, que percorre as raízes da música nordestina, jamaicana e beats eletrônicos.

Conecta é o quinto álbum do grupo e surgiu como uma espécie de "olhada no retrovisor" que o grupo decidiu fazer. "Foi um processo de dois anos para achar o formato desse álbum, porque a gente queria fazer algo que os fãs pediam há algum tempo. Os fãs mais antigos têm o primeiro disco da gente como favorito, então queríamos nos conectar com aquele trabalho para nos reconectarmos com os fãs, por isso o nome", explica Gabriel Souto, responsável pelos efeitos, batidas, cavaquinho, sanfona e voz do trio, composto ainda por Paulo Souto (baixo e voz) e Gustavo Lamartine (guitarra e voz).

Para a capa, a banda convidou o grafiteiro paulista Cranio, que reproduziu os integrantes da DuSouto dentro do conceito proposto ao longo das 11 faixas do álbum. Ao ouvir o disco, é possível captar algumas das diversas referências sonoras contidas no material. A primeira faixa, "Cedinho" conta com uma participação especial na bateria, do conterrâneo Ian Medeiros, do grupo instrumental potiguar Mahmed. Falando em instrumental, o trabalho conta uma uma faixa sem voz, a música "Cumbia solta".

Essa confluência sonora causa algumas confusões para ouvidos pouco habituados. "A gente sempre escutou muita música jamaicana, muita música brasileira, mas carregamos especialmente a música nordestina conosco. Quando vamos tocar no Sudeste, perguntam se o nosso estilo é o mangue beat. Temos referências ao estilo, até porque ele surge bem perto de nós, mas nossa proposta é outra, é uma nova busca", completa Gabriel.

O grupo evita se ater a gêneros, já que transita por alguns deles por facilidade. "Nem mesmo a presença de música eletrônica é algo definidor do nosso som, a gente tenta deixar nossa criatividade muito livre. Se um dia quisermos fazer um disco de samba, de forró, sem elementos eletrônicos, ou algum projeto acústico, a gente vai fazer tranquilamente", explica. Por conta disso, elegosta de dizer que o nome da banda, mais do que o sobrenome, é uma referência a essa liberdade na hora de criar.

Quando começaram, eles não tinham pretensões de subir no palco, era um projeto de estúdio. Ou melhor, caseiro. "DuSouto é uma banda que surgiu como um grupo que fazia música no computador. A gente nem tinha tecnologia para tocar o som ao vivo, fomos adaptando o formato várias vezes até chegar o que a gente tem hoje", explica Gabriel. Como laptops eram caríssimos em 2003, eles se viravam como podiam. "Já toquei com MD, um aparelho antigo, com Groovebox, depois com o laptop, até chegar a tecnologia de hoje. Agora, basta um iPad para dar conta", relembra o músico.

Planos

Com o álbum lançado no ano passado, é chegada a hora de começar a pensar em novos materiais. "A gente quer trabalhar com singles. Decidimos investir nas faixas e não em um álbum porque o CD é um projeto custoso. É melhor investir em uma música e trabalhá-la bem, escolher bem o que a gente for lançar", explica Gabriel Souto.

Ele aproveita e acrescenta que em breve, seus ouvintes poderão conferir uma canção colaborativa entre DuSouto e outro projeto do qual faz parte, a banda Luísa e os Alquimistas, também de Natal.

Candiêro Café

DuSouto é uma das atrações que estão passando pelo Candiêro Café, um espaço que chega com a proposta de se dividir em múltiplas funções. É um bar, mas também um ambiente com estrutura para receber atividades culturais e atrações artísticas. Na abertura, aconteceu o show da banda Néctar do Groove.

No próximo dia 26 de maio, um sábado, a casa recebe um show do DJ KL Jay, que vem diretamente de São Paulo para se apresentar em João Pessoa. É uma noite especial para quem gosta de rap nacional, já que KL é integrante de um dos maiores grupos do gênero, os Racionais MCs.

Ele se apresenta no Candiêro Café com o repertório de seu novo trabalho, ainda em processo de finalização, que será lançado 17 anos após seu primeiro disco, KL Jay na Batida — Vol III.

A noite também contará com a música eletrônica de D_M_G. A dupla formada por Daniel Jesi e Rieg R, ambos da banda Rieg, se unem em colaboração com rappers e MCs da Capital. No dia 26, eles convidam Caetano e Bravo para incrementarem o set.

Outra atração que também está alinhada à proposta do hip-hop e da street cultura é o grupo Sinta a Liga Crew. Inicialmente um coletivo feminista de artistas e produtoras para promover o protagonismo das mulheres paraibanas no hip-hop, não demorou muito para que o projeto ganhasse corpo e tomasse os palcos, apostando na união de forças para evidenciar o trabalho das mulheres rappers, bailarinas e grafiteiras.

O grupo está em atividade desde 2016 e conta com Kalyne Lima, Camila Rocha e Preta Langy, rappers e ativistas culturais, ao lado do DJ e produtor musical Guirraiz, da grafiteira Priscila Lima (Witch) e da dançarina Giordana Leite.

A noite é um prato cheio para quem gosta de hip-hop e uma oportunidade do público conferir de perto o trabalho de um grande nome nacional e se familiarizar com os projetos desenvolvidos aqui pela Paraíba.

Relacionadas