sábado, 23 de janeiro de 2021

Geral
Compartilhar:

Simulado de português para carreiras internacionais

Redação / 29 de janeiro de 2017
Foto: Ilustração Correio
QUESTÃO 1 Cada um dos itens subsequentes apresenta uma proposta de reescrita de trecho do texto de M. Said Ali, que deve ser julgada certa se estiver devidamente pontuada e gramaticalmente correta e mantiver as informações do texto, ou errada, em caso contrário.

a) “Decorrem muitos anos, até que por fim a linguagem literária, não vendo razão para enjeitar o que todo o mundo diz, se decide a aceitar a mudança também.” (R. 27 a 30): Passa-se muito tempo, até que a linguagem literária, finalmente, por não encontrar motivo para repelir aquilo que todas as pessoas falam, resolve anuir à alteração também.

b) “Mas os escritores antigos evitavam afastar-se da prática recebida de seus avós e, posto que muitas concessões tivessem de fazer ao uso para serem entendidos, propendiam mais a utilizar-se de recursos artificiais que dessem ao estilo certo ar de gravidade e acima do vulgar.” (R. 43 a 47): Porém os escritores antigos furtavam-se a distanciar-se do uso adquirido de seus avós e, uma vez que diversas transigências se tivesse de fazer à prática a fim de serem compreendidos, inclinavam-se mais a empregar meios factícios que imprimissem ao seu modo de escrever alguma mostra de sobriedade e superior ao popular.

c) “Neste ponto, nunca será a linguagem escrita, dada a sua tendência conservadora, espelho fiel do que se passa na linguagem falada.” (R. 19 a 22): A linguagem escrita nesse aspecto jamais será cópia exata àquilo que ocorre na linguagem oral, por sua propensão tradicionalista.

d) “Surge a inovação, formulada acaso por um ou poucos indivíduos; se tem a dita de agradar, não tarda a generalizar-se o seu uso no falar do povo.” (R. 22 a 24): A novidade aparece, criada, talvez, por uma ou algumas pessoas; se elas tem a sorte de satisfazer o povo, não demora a propagar-se a utilização na fala.

Texto para as questões 2 e 3

No modesto apartamento em que mora na rua Conde de Bonfim, Graciliano Ramos mostrou-me alguns originais dos seus trabalhos. Via de regra, escreve em papel sem pautas, de 4 um só golpe, ao calor da composição. A forma definitiva vem depois. Emenda muito. E até mesmo quando passa a limpo, com sua letra explicativa de escrevente de cartório, corta muita 7 coisa, tudo o que depois vai achando ruim. Às vezes risca linhas inteiras. As palavras morrem sob o traço forte de tinta de uma igualdade assombrosa, como feito à régua. 10 Graciliano guarda os originais dos livros já publicados. Assim pude verificar um curioso detalhe da feitura de Vidas Secas. Os capítulos, datados, indicaram-me a 13 ausência de seguimento na elaboração da narrativa. “Baleia”, o nono capítulo, foi o primeiro a ser escrito, em 4 de maio de 1937. Um mês e pouco depois, precisamente no dia 18 de 16 junho, escreveu o quarto capítulo, “Sinha Vitória”. E assim todo o livro, que não obedeceu a nenhum plano antecipado. — Escrevi a história de um cachorro de meu avô — 19 conta o romancista, cigarro Selma com ponta de cortiça entre os dedos queimados de fumo. — Os episódios foram-se amontoando. O livro foi crescendo. E assim arrumei Vidas 22 Secas, que pensei em chamar “O mundo coberto de penas”, título de um dos capítulos do livro. A vida de Graciliano Ramos está sempre presente na 25 sua obra, no que ela tem de mais humano e doloroso. — Caetés é uma história de Palmeira dos Índios. São Bernardo se passa em Viçosa. Angústia tem um pouco do 28 Rio, um pouco de Maceió e muito de mim mesmo. Vidas Secas são cenas da vida de Buíque [Pernambuco]. Todos esses romances exigiram do autor um longo e 31 penoso trabalho de composição. — Não sou como José Américo — disse —, que primeiro escreve na cabeça e depois transporta o livro para o 34 papel. A obra de criação, para mim, é quase sempre imprevista. E espontânea. Refaço tudo, depois. Escrever dá muito trabalho. A gente muitas vezes não sabe o que vai fazer. Sai tudo diverso 37 do que se imaginou. Francisco de Assis Barbosa. Graciliano Ramos, aos cinquenta anos. Reportagem biográfica. In: jornal Diretrizes, Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional RJ, 1942. Apud: Ieda Lebensztayn e Thiago Mio Salla (Orgs.). Conversas – Graciliano Ramos. 3.ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2014, p. 119-20.

QUESTÃO 2 A respeito da linguagem e do vocabulário empregados no texto anterior, julgue (C ou E) os itens seguintes.

a) No terceiro parágrafo, o repórter abandona a narrativa e, sem intervir, reproduz, em discurso direto, o relato de Graciliano Ramos acerca da produção de Vidas Secas.

b) Embora contenha trechos de fala, o texto está isento de coloquialismo.

c) No primeiro parágrafo, o emprego, em sentido figurado, do substantivo “calor” (R.4) e da forma verbal “morrem” (R.8) contribuiu para a expressividade da linguagem dos segmentos em que esses vocábulos se inserem.

d) Depreende-se que a qualidade de “explicativa” (R.6), atribuída à letra de Graciliano Ramos pelo autor do texto, foi empregada com o sentido de clara, legível, inteligível.

QUESTÃO 3 Julgue (C ou E) os próximos itens, a propósito das ideias e de aspectos morfossintáticos do texto de Francisco de Assis Barbosa.

a) Depreende-se do texto que poucas vezes Graciliano Ramos escreveu de chofre, mas quando o fez, reescreveu tudo depois, ao passar a limpo, e é por isso que, para ele, escrever era muito trabalhoso.

b) As informações e a correção gramatical do texto seriam preservadas, caso a conjunção aditiva “E” (R. 5 e 16) fosse grafada em minúscula; o ponto final que a antecede fosse substituído por vírgula; e, apenas na ocorrência da linha 5, essa conjunção fosse seguida de vírgula.

c) A supressão da vírgula empregada logo após “livro” (R.17) atenderia às normas gramaticais, porém violaria a coerência do texto.

d) O trecho “A vida de Graciliano Ramos está sempre presente na sua obra, no que ela tem de mais humano e doloroso.” (R. 24 e 25) poderia ser reescrito, sem prejuízo das informações originais do texto e de sua correção gramatical, da seguinte forma: Está sempre presente na obra de Graciliano Ramos aquilo que, na sua vida, é mais humano e doloroso.

POLÍTICA INTERNACIONAL

QUESTÃO 4 Acerca da política externa norte-americana e das relações entre EUA e Brasil, julgue (C ou E) os seguintes itens.

a) Nos últimos dois anos, os EUA deixaram de ser o principal parceiro comercial do Brasil — posto ocupado pela China —, tornando sua relação comercial com o Brasil deficitária, embora mantenham o padrão de concentrar suas compras em matérias-primas e suas vendas em produtos industrializados e serviços.

b) EUA e Brasil estabeleceram estratégia de cooperação educacional por meio de um plano de ação negociado em nível ministerial, no qual se evitou envolver o setor privado, especialmente no programa Ciência sem Fronteiras, uma vez que a pesquisa de ponta concentra-se em universidades públicas nos EUA.

c) Devido ao apoio explícito dos EUA ao seu pleito por um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU, o Brasil vem reconhecendo publicamente os avanços do país norte-americano em suas negociações diretas com a Federação Russa em favor do desarmamento nuclear.

d) Os temas prioritários nas relações bilaterais entre EUA e Brasil incluem a cooperação visando reduzir as desigualdades de gênero e eliminar progressivamente a violência contra a mulher e o tráfico de mulheres, cuja implementação consta em documento específico.

QUESTÃO 5 A propósito das relações entre a União Europeia e o Brasil, julgue (C ou E) os itens a seguir.

a) Brasil e União Europeia continuam a cooperar em áreas de comércio, investimento e negócios, inclusive via negociação de acordo preferencial UE-MERCOSUL, uma vez que compartilham a frustração de ver adiada a conclusão da Rodada Doha.

b) As exportações brasileiras de maquinarias, equipamentos de transportes e químicos comparam-se às de minérios e combustíveis, respondendo por cerca de um quarto das exportações brasileiras para a região, sendo, ainda, inferior às exportações de produtos agrícolas.

c) Representantes de alto nível da Comissão Europeia e dos ministérios brasileiros do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Previdência Social e do Trabalho e Emprego reúnem-se periodicamente para promover a cooperação sobre políticas sociais em temas como mudanças demográficas, direitos de trabalhadores migrantes e regimes especiais para trabalhadores rurais, entre outros.

d) No marco de sua parceria estratégica, Brasil e União Europeia estabeleceram um plano de ação conjunto que enfatiza, com respeito à paz e à segurança, ações como a promoção dos direitos humanos e da democracia, a defesa da justiça internacional e o fortalecimento do sistema multilateral.

QUESTÃO 6 No que se refere à União Sul-Americana de Nações (UNASUL), julgue (C ou E) os itens subsecutivos.

a) A UNASUL visa aprofundar a cooperação regional; evita, pois, objetivos de integração regional, para não criar resistências políticas. Os esforços em prol da cooperação se empreendem no seio de seus doze conselhos, entre os quais se destacam o de educação e o de criação de medidas de confiança mútua.

b) O Conselho de Defesa da UNASUL fixa a diretriz de reger-se pelos princípios estabelecidos nas cartas da ONU e da OEA, bem como pelos mandatos e decisões do Conselho de Chefas e Chefes de Estados e de Governo da UNASUL, respeitando, entre outros princípios, a soberania e a integridade dos Estados.

c) Entre os objetivos da UNASUL, figura o de promover a democracia, inclusive pela mediação de crises internacionais ou internas dos países membros, como ocorreu nos casos da tentativa separatista do Pando, na Bolívia, da sublevação da Polícia Nacional do Equador e da crise entre Colômbia e Venezuela.

d) Como principal foro de condução do processo de integração da infraestrutura física sul-americana, a IIRSA implementa os consensos políticos a que chegam os ministros de pastas de infraestrutura dos países-membros da UNASUL, restando ao COSIPLAN a tarefa de levantar os recursos para realizar os investimentos.

QUESTÃO 7 Julgue (C ou E) os itens subsequentes, relativos à política externa inglesa e suas relações com o Brasil.

a) O Reino Unido busca fazer do Brasil via de acesso aos mercados sul-americanos, razão pela qual tenta convencer os parceiros europeus a usarem o tratado de livre comércio existente entre Brasil e Reino Unido como base de negociação do acordo de livre comércio UE-MERCOSUL.

b) A comunidade brasileira no Reino Unido é de cerca de 130 mil cidadãos. Essa dimensão das relações bilaterais vem ganhando relevância nos últimos anos, o que levou o governo brasileiro a instalar, há poucos anos, um Conselho de Cidadãos Brasileiros no Reino Unido.

c) O governo do Reino Unido considera desafios para a realização de negócios no Brasil a complexidade do sistema fiscal; a alta carga tributária; a importância das relações pessoais; os altos níveis de corrupção e as longas viagens e variações culturais entre cidades e estados do Brasil.

d) Como consequência dos diálogos estratégicos de alto nível empreendidos pelos chefes de governo, o intercâmbio comercial entre o Brasil e o Reino Unido mais que triplicou nos últimos dez anos, alçando o Brasil ao grupo dos dez principais parceiros comerciais do Reino Unido.

QUESTÃO 8 Com relação às políticas externas da Rússia e da Alemanha e suas respectivas relações com o Brasil, julgue (C ou E) os itens a seguir.

a) Amplamente superavitária em seu comércio com o Brasil, a Alemanha concentra suas exportações em produtos manufaturados e importa, sobretudo, produtos básicos, como café, minérios e farelo de soja.

b) A Alemanha celebrou com o Brasil o Acordo sobre Parceria e Cooperação em Matéria de Segurança Pública, visando apoiar o Brasil na modernização de sua Polícia Federal, em troca das experiências brasileiras na organização de grandes eventos esportivos.

c) A Federação Russa vem utilizando o BRICS como instrumento para fomentar o seu comércio bilateral com os demais países do agrupamento, o que levou ao crescimento sustentado de seu saldo comercial com o Brasil, que hoje figura entre os doze maiores parceiros comerciais russos.

d) Brasil e Rússia convergem sobre temas da agenda internacional, como a reforma das estruturas de governança global, inclusive do Conselho de Segurança das Nações Unidas, mas divergem a respeito das ações destinadas a criar o Arranjo Contingencial de Reservas do BRICS.

QUESTÃO 9 Julgue (C ou E) os seguintes itens, que se referem às políticas externas brasileira e argentina e às relações entre os dois países.

a) A Argentina concentra suas exportações ao Brasil, seu principal parceiro comercial, em produtos básicos e suas importações, em serviços e produtos químicos.

b) Os princípios que Brasil e Argentina compartilham na condução de suas respectivas políticas externas incluem a promoção da independência nacional e da integração regional na América Latina, o respeito aos direitos humanos e o fortalecimento do multilateralismo e do direito internacional.

c) Em sua busca por crescente autonomia, o Brasil privilegiou a articulação multilateral no trato com países desenvolvidos e a construção de relações bilaterais estratégicas, como é a da Argentina, país com o qual assinou o Tratado de Itaipu nos anos 70 do século passado.

d) A gradual construção de uma parceria estratégica entre Brasil e Argentina transformou a visão que cada país tinha do outro: de adversário a sócio na promoção de um espaço regional de paz e cooperação. Esse projeto de integração envolveu a cooperação em setores-chave, como o nuclear.

QUESTÃO 10 Com relação à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), julgue (C ou E) os seguintes itens.

a) A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) tem sido, tradicionalmente, o principal agente brasileiro de cooperação em segurança alimentar e nutricional no âmbito da CPLP.

b) A criação do Instituto Internacional de Língua Portuguesa, em 1989, precedeu a própria constituição da CPLP.

c) Os Estados-membros da CPLP são Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

d) A CPLP tem prestado apoio ao processo de reconciliação nacional em Guiné Bissau em coordenação com o secretário-geral das Nações Unidas, que possui um representante especial para Guiné Bissau.

 

Relacionadas