terça, 26 de janeiro de 2021

Geral
Compartilhar:

Secretaria de Saúde abrirá sindicância para apurar morte de adolescente em maternidade

Redação com Portal Correio / 03 de março de 2017
Foto: Nalva Figueiredo
Um tumulto foi registrado na noite dessa quinta-feira (2) no Instituto Cândida Vargas (ICV), em João Pessoa, após a morte de uma adolescente de 15 anos, que não resistiu a complicações de um parto normal. Familiares teriam danificado parte do prédio e a polícia foi acionada para conter a confusão. Uma pessoa ficou ferida.

A família da adolescente denuncia que houve negligência no atendimento. O argumento usado é de que a vítima passou muitas horas em trabalho de parto e a equipe médica continuou insistindo na espera por dilatação necessária para o parto normal. A família acredita que a adolescente tenha sido vítima de uma infecção. O bebê passa bem.

A Secretaria de Saúde de João Pessoa, informou por meio de nota, que vai instaurar uma sindicância para apurar o que causou a morte da adolescente.

“A paciente teve o pós-parto com vômito, náuseas e dor abdominal e foi submetida a exames que apontaram infecção. Na tarde desta quinta-feira (2), foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) onde teve cinco paradas cardíacas e infelizmente foi a óbito”, diz trecho da nota.

Ainda segundo a nota, o corpo da adolescente foi encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbito (SVO) e o a maternidade aguarda o laudo da causa mortis. “Enquanto isso, a maternidade está instaurando uma comissão de sindicância para acompanhamento e apuração do caso até a conclusão da causa mortis e dependendo do resultado tomar todas as providências cabíveis e legais”, finaliza a nota.

Versão da maternidade

Ao Portal Correio, o diretor técnico do Instituto Cândida Vargas, Juarez Augusto, informou que a adolescente deu entrada na maternidade às 3h da segunda-feira (27) e o parto aconteceu às 22h59 do mesmo dia. "Em seguida ela foi encaminhada para a enfermaria, mas com o passar dos dias começou a apresentar vômitos e se queixar de dores. No fim da tarde de ontem [quinta-feira], a paciente foi transferida para a UTI. Ela morreu à noite, após sofrer cinco paradas cardíacas", informou.

Juarez Augusto também disse que aguarda o laudo da causa da morte para saber se será necessário realizar uma sindicância no hospital. “Se for comprovada a negligência, todas as providências serão tomadas e a equipe será sim responsabilizada”, garantiu o diretor técnico do ICV, ao acrescentar que não é possível estabelecer um prazo para a divulgação do laudo.

Tumulto

Por causa da morte da adolescente, um grupo ameaçou quebrar o hospital. Conforme registro da Polícia Militar, cerca de 15 pessoas teriam participado da ação. Uma vidraça do hospital teria sido  danificada e a mãe da adolescente estaria com um ferimento no braço. Ela foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.

“Três viaturas foram ao local e os policiais da Força Tática atuaram na negociação com essas pessoas. A PM explicou que danos provocados ao hospital configurariam crimes e os ânimos foram contidos”, informou a assessoria da Polícia Militar.

A direção do hospital registrou um boletim de ocorrência sobre o caso.

Relacionadas