sexta, 18 de setembro de 2020

Saúde
Compartilhar:

Bomba relógio: quatro mil paraibanos mortos por problemas do coração em 2015

Bruna Vieira / 03 de setembro de 2015
Setembro é o mês do coração. Mais de 4 mil paraibanos morreram este ano por problemas no aparelho circulatório, 1.243 somente de infarto. O colesterol é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares, segundo o cardiologista Helman Campos. Atividades físicas e alimentação adequada ajudam na prevenção.

Há dois tipos de colesterol: o HDL (considerado bom) e o LDL (considerado mau). “O colesterol é importantíssimo para o funcionamento do organismo, é a base do funcionamento celular, o excesso é que desencadeia doenças, compromete os vasos com deposição de gordura, e em alguns casos, até amputação de membro. A maior causa de mortalidade no país é o infarto agudo miocárdio. Entre os fatores de risco, o colesterol se destaca”, disse Helman Campos, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia na Paraíba.

“As doenças coronarianas são as que mais preocupam, pois podem causar infarto e acidente vascular cerebral, com morte ou comprometimento físico irreversível. O colesterol não causa sintomas, mas consequências a longo prazo, por isso é importante fazer o exame anualmente”, disse Helman.

Para evitar níveis elevados de gordura no sangue é necessário praticar atividades físicas pelo menos três vezes por semana e ter uma dieta com pouca gordura, saturada e de origem animal.

Jovens não estão ‘imunes’

Talita Poli Biason, gerente médica da unidade Mip do Aché Laboratórios lembra que não há idade para alteração no colesteol. “Esse distúrbio pode afetar jovens e crianças. Dentre os fatores de risco estão a má alimentação e a predisposição genética. Pessoas com histórico familiar de doença cardiovascular de aparecimento precoce, devem contar isso a seu médico”, informou.

O colesterol elevado também pode causar aterosclerose, que é o endurecimento das paredes dos vasos sanguíneos. Os alimentos ajudam a combater. “Frutas, legumes, verduras e grãos são importantes, mas é indispensável o controle dos níveis lipídicos no sangue”.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas