sábado, 21 de julho de 2018
Geral
Compartilhar:

Leci Brandão e Polyana Resende celebram a mulher com show em JP

Audaci Junior / 10 de março de 2018
Foto: Divulgação
Em época da batalha pelo respeito e igualdade da mulher na sociedade, Leci Brandão sempre foi uma guerreira que estava no front: ela foi a primeira mulher a fazer parte da ala de compositores da Mangueira, sempre travando a batalha para permanecer entre o panteão do samba.

No mês das mulheres, a sambista apresentará às 20h, no Teatro de Arena do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, o show gratuito Pela Vida das Mulheres. A abertura ficará por conta da cantora pernambucana radicada na Paraíba Polyana Resende.

Nascida em Madureira e criada na Vila Isabel (dois redutos históricos do samba), do seio de uma família pobre, Leci sempre foi considerada “cantora das comunidades”.

Tanto que se tornou membro do Conselho dos Direitos da Mulher do Ministério da Justiça (Codim) e chegou até a lançar música em um presídio. Sua luta pelas questões de raça lhe rendeu a posse como Conselheira do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e, mais tarde, a carioca representou a sociedade civil brasileira na 1ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial, realizada em Brasília, em 2005. Desde então, Leci Brandão passou a emprestar sua voz à militância.

Seu repertório não faz jus apenas ao samba: um exemplo é a música “Talento de verdade”, que faz uma crítica a exploração sexual da mulher afro-brasileira. Já em “Bagulho da amante”, o mote é a análise da inserção feminina no tráfico de drogas.

No ano passado, depois de quatro anos sem gravar, Leci lançou o disco Simples Assim.

Relacionadas