domingo, 21 de julho de 2019
Geral
Compartilhar:

Projeto tenta reaproximar reeducandas e filhos através da leitura

Da redação com assessoria / 13 de junho de 2016
Foto: Divulgação
A leitura está aproximando reeducandas e seus filhos em João Pessoa. Trata-se do projeto “Ler para o Futuro”, uma parceria entre a Vara de Execuções de Penas Alternativas da Capital e a Penitenciária Feminina Júlia Maranhão, que arrecadou 250 livros por meio de doações e está disponibilizando o material para utilização e empréstimo na unidade penitenciária.

A diretora da Penitenciária, Cinthya Almeida de Araújo, explicou que a ideia surgiu como forma de amenizar o ambiente, o qual as crianças frequentam por algumas horas. “O principal é estimular a leitura como hábito rotineiro pelas crianças”, destacou.

A diretora explicou ainda que, atualmente seis reeducandas pré-selecionadas estão participando das oficinas, que consistem na leitura e interação entre elas e seus filhos sobre as histórias dos livros. Para a pré-seleção, estão sendo utilizados critérios como ser mãe, alfabetizada e se predispor a participar da ação.

Os livros estão disponíveis para leitura e para empréstimo na unidade. As crianças poderão ler durante a semana e, no domingo de visita, conversar com a mãe sobre a história que leu. “É um novo olhar que estamos imprimindo na reeducação penitenciária”, declarou a Cinthya Almeida.

Sobre as doações, a diretora informou que, no momento, os livros estão sendo suficientes para as 20 crianças utilizarem. Para mais informações ou doações, o contato da unidade penitenciária pode ser realizado através do número (83) 3238-6569.

A titular da Vara de Execução de Penas Alternativas da Comarca de João Pessoa, juíza Andréa Arcoverde, acredita que o relacionamento entre mãe e filho pode mudar com os novos hábitos. “Pretendemos estreitar a relação entre mãe e filho de uma forma saudável e educativa”, afirmou a delegada.

Relacionadas