terça, 16 de julho de 2019
Geral
Compartilhar:

Projeto Quartas Acústicas retoma apresentações a partir desta semana

Rammom Monte / 13 de março de 2019
Foto: Divulgação
Há pouco mais de quatro anos surgiu em Campina Grande uma ideia de valorizar a música local. Nesta quarta-feira (13), o Projeto Quartas Acústicas inicia sua nona temporada (são duas por ano). A apresentação fica por conta da cantora Verônica Ryos e banda. O idealizador foi o diretor do Teatro Municipal Severino Cabral, onde ocorrem as apresentações, Erasmo Rafael. Segundo ele, além da valorização musical, a iniciativa tinha o objetivo de tornar função a uma sala ociosa e receber públicos.

“Quando eu assumi a direção do teatro, um dos meus pilares seria criar um público e eu não tinha muitos recursos. Mas eu tenho um espaço e tinha uma equipe para trabalhar. Então, a gente pensou no ‘Quartas Acústicas’ para utilizar a Sala Paulo Pontes. É uma sala de 100 lugares, e era bem ociosa. Servia apenas para reuniões de empresas privadas”, explicou.

Ernesto explica que sentia a necessidade de dar visibilidade a muitos artistas da cidade e descobrir novos talentos, além de ter mais uma atração artística na programação do teatro.

“A idéia era descobrir novos talentos. A música é muito forte em todo lugar, principalmente em Campina Grande. Então o projeto agrega uma programação artística do teatro e dá oportunidade a novos talentos. É bom para que eles criem um portfólio e comecem a pensar em shows, festivais. A maioria dos cantores tem um repertório autoral e que podem apresentar, o que não acontece em barzinhos, por exemplo. É muito gratificante”, disse.

A escolha dos artistas é feita através de editais. Por ano, são abertos dois, um para cada temporada. A primeira vai de março a maio e a segunda de agosto a novembro. Ernesto explicou que a prioridade é por quem nunca se apresentou no projeto.

“A prioridade é de quem ainda não tocou. Mas a gente ainda tenta ver se é interessante, se tem qualidade e no final, sobrando datas, a gente abre para os cantores já conhecidos do projeto”, disse Ernesto, que é responsável pela seleção junto com Ana Caroline e Gitana Pimentel.

Outro critério apontado pelos curadores é a questão da localidade do artista. Segundo Ernesto, a prioridade é para os campinenses, o que não impede que músicos de outras localidades possam se apresentar. Só neste edital, foram mais de 20 inscrições de artistas de fora do Nordeste.

“Este ano a gente recebeu muitas inscrições de Rio de Janeiro, São Paulo e muitas de Santa Catarina, mas a gente acabou não selecionando porque tinha um pessoal de Campina Grande na frente”.

Para se inscrever, o artista precisa preencher uma ficha de inscrição, encaminhar um release sobre o show, a ficha técnica e algumas fotos. No ato, o artista também pode informar as datas disponíveis para os shows, para que não tenha conflito nas agendas.

Os ingressos para cada quarta-feira custam R$ 10 (meia entrada) e R$ 20 (inteira). A renda da bilheteria é divida entre os artistas, que recebem 70%, e o teatro, que fica com os 30%. Segundo Ernesto, o teatro fica com esta parte para pagar os custos, já que toda logística do show fica a cargo da casa.

“O teatro faz a divulgação do evento e dá esta assistência de produção. O artista vem para apenas para fazer o show. Ele vai receber uma equipe, um som especial para o show, já que é um ambiente bem acústico”.

Ernesto disse ainda que a maior dificuldades no início era criar o hábito na população de Campina Grande a frequentar o teatro todas as quartas-feiras. Hoje, ele trata o projeto como consolidado e diz que agora tem uma novidade: o artista que se apresentar no Quartas Acústicas e tiver uma aceitação muito grande, pode entrar na programação da Campanha de Popularização do Teatro, Música e Dança, que acontece no palco principal, com capacidade para 680 pessoas.

A primeira. A temporada começa com a apresentação da cantora Verônica Ryos que se une a sua banda para a abertura da temporada do projeto em 2019. No show Cego de Amor, título do seu 6° álbum, Verônica traz músicas do mestre Severino Medeiros em um espetáculo de origem cultural nordestina. A cantora recebe no palco compositores campinenses e de outros estados que encantarão o público com muito xote, forró e baião, músicas do grande mestre Dominguinhos.

“Será um show que nunca apresentei, onde eu terei que conter minha inquietude no palco para que o público conheça o outro lado da cantora Verônica Ryos. Levarei para o público campinense a poesia o romantismo em forma de xote e forró. Farei algo especial para que a música toque e todos possam cantar comigo, prestigiando nossa música regional em plena harmonia”, convidou.

Verônica também comentou sobre a importância do Projeto Quartas Acústicas para os artistas locais.

“Para nós é muito bom. Dependemos muito deste tipo de projeto. Existe uma carência em relação ao apoio ao artista. Este projeto veio para abrir mais portas, para a gente ter oportunidades de mostrar o trabalho e trazer para o público aquilo que muitas vezes o artista tem guardado, mas não tem onde expor. É tudo que o artista precisa. O custo é mínimo, o teatro dispõe de tudo”.

O diretor Erasmo Rafael aproveitou para convidar o público para prestigiar os artistas, muitos deles que irão estrear em um palco de um teatro. “As portas do teatro se abrem para que possamos prestigiar os artistas da terra. Continuamos com os mesmos valores de ingresso porque o objetivo da Associação, do Teatro e da Prefeitura Municipal não é obter lucro com esses shows, mas oferecer ao público eventos de qualidade a preços populares”,disse.

OS SHOWS

Verônica Ryos (hoje)

Acoustic Band (dia 20)

Niely Limeira (dia 27)

Hugo César e Lucas Barreto (03/04)

Lucas Emanuel e Romero Coelho (10/04)

Max Marcel (17/04)

Fabrício Meira e Banda FM Blues (24/04)

Cristina Amaral (08/05)

Fernandes (15/05)

Flávio Roberto (22/05)

Dimétrio (29/05)

 

Relacionadas