terça, 13 de novembro de 2018
Previsão
Compartilhar:

Último trimestre do ano deve ser de pouca chuva e muito calor

Katiana Ramos e Wênia Bandeira / 18 de setembro de 2018
Foto: Antônio Ronaldo
O Verão começa oficialmente em dezembro, mas, até lá, o clima seco e a escassez de chuvas devem predominar em praticamente toda a Paraíba. Esse é o prognóstico do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para o próximo trimestre, que deve registrar ainda temperaturas beirando os 40ºC.

O fenômeno El Niño, que era esperado para predominar neste semestre e que iria interferir diminuindo ainda mais a ocorrência de chuvas, só deve acontecer no ano que vem. É o que explica o doutor em Meteorologia Mário de Miranda Leitão. “Há uma possibilidade de 70% que aconteça o El Niño até o final do ano, mas será fraco ou moderado. O fenômeno apenas alteraria a ocorrência de chuvas no Nordeste se chegasse forte, como ocorreu nos anos de 1983 e 1998”, afirmou o meteorologista.

Segundo Mário de Miranda, quando o El Niño tende a ser forte já começa com aquecimento das águas do Oceano Pacífico no mês de maio. No entanto, essas mudanças só começaram a ser notadas este mês, o que, para o pesquisador, está muito atrasado.

“Mesmo que aconteça o El Niño, como é provável que aconteça, isto não significa necessariamente seca no Nordeste. Se o Oceano Atlântico estiver quente, esse comportamento anula o El Niño”, acrescentou.

O professor lembrou que esta declaração é uma probabilidade e não uma previsão, já que está cedo para prever o clima na região. Contudo, o prognóstico do Inmet demonstra a queda nas precipitações em todas as regiões do Estado, conforme explica o meteorologista do Instituto, Ednaldo Araújo.

“Teremos uma redução substancial das chuvas até o final do ano e esse trimestre é sempre o mais seco na Paraíba”, adiantou Ednaldo Araújo.

Por sua vez, Mário de Miranda lembrou que as chuvas, com um volume mais considerável, devem voltar a cair no Nordeste entre os meses de janeiro e abril de 2019. “Teremos calor, o sol fica mais perpendicular, como acontece todos os anos. A tendência é que tenhamos uma situação de normalidade, com tendência favorável para ocorrência de chuva”, afirmou o meteorologista. Para a época, é prevista uma média de 700 milímetros de precipitação no Sertão.

Relacionadas