segunda, 18 de janeiro de 2021

Geral
Compartilhar:

Português e Direito para concurso; faça o teste

Redação / 07 de maio de 2017
Foto: Ilustração Correio
PORTUGUÊS

Atenção: As questões de números 1 a 5 referem-se ao texto abaixo.

Fomos uma geração de bons meninos. E acreditem: em boa parte por causa dos heróis dos quadrinhos. Éramos viciados em gibis. Nosso ideal do bem e mesmo a prática do bem podem ser creditados ao Batman & Cia. tanto quanto ao medo do inferno, aos valores da família e aos ensinamentos da escola. Os heróis eram o exemplo máximo de bravura, doação pessoal e virtude. Gibis abasteciam de ética o vasto campo da fantasia infantil, sem cobrar pela lição. Não era só por exigência da família, da escola ou da religião que os meninos tinham de ser retos e bons; eles queriam ser retos e bons – como os heróis. Viviam o bem na imaginação, porque o bem era a condição do herói. A lei e a ordem eram a regra dentro da qual transitavam os heróis. Eles eram o lado certo que combatia o lado errado. Atualmente não sei. Parei de ler gibis, só pego um ou outro a seção nostalgia. Nos anos de 1970 e 80 ainda surgiram heróis interessantes, mas alguns parecem cheios de rancor, como o Wolverine, ou vítimas confusas sem noção de bem e mal, como o Hulk, ou exilados freudianos, como o belo Surfista Prateado, ou presas possíveis da vaidade, como o Homem-Aranha. Complicou-se a simplicidade do bem. Na televisão, os heróis urram, gritam, destroem, torturam, tão estridentes quanto os arqui-inimigos maléficos. Não são simples, e retos, e fortes, e afinados com seus dons, como os heróis clássicos; são complexos, e dramáticos, e ambíguos, como ficou o mundo. 

(Fragmento de Ivan Angelo. Meninos e gibis. Certos homens. Porto Alegre: Arquipélago, 2011. p.147-9)

1. Ao tratar da leitura de gibis, o autor contrapõe

a) A complexidade das histórias antigas, ainda que o bem sempre triunfasse, ao maniqueísmo dos quadrinhos recentes, em que o que sobressai é a pura maldade.

b) A bondade dos meninos de seu tempo à ausência da prática da virtude no mundo atual, em função da ausência de heróis em que se espelhar.

c) A virtude como aspiração pessoal, despertada pelo exemplo dos heróis, ao dever de praticar o bem, imposto pelas instituições sociais.

d) Os heróis dos quadrinhos antigos, voltados para a prática do bem, aos personagens maléficos das histórias surgidas depois dos anos 1970 e 80.

e) O aprendizado que levava à prática do bem, proporcionado pelos quadrinhos, àquele sem nenhum efeito prático, propiciado pelas instituições sociais.

2. A conclusão expressa no último parágrafo do texto aponta para

a) a constatação da inexistência de heróis de qualquer tipo no mundo atual, tanto na ficção quanto na vida real.

b) o descompasso entre os heróis dos quadrinhos, mesmo os mais recentes, e aqueles que aparecem na televisão.

c) a impossibilidade de separação entre o bem e o mal, seja nas histórias em quadrinhos, seja na vida real.

d) os paralelos que podem ser estabelecidos entre os heróis de ontem e os de hoje, a despeito das diferenças que os separam.

e) a adequação entre a personalidade dos heróis e as características do tempo em que as histórias são criadas.

3. Fomos uma geração de bons meninos.

 O verbo empregado nos mesmos tempo e modo que o grifado acima está em:

a) Nos anos de 1970 e 80 ainda surgiram heróis interessantes...

 b) Os heróis eram o exemplo máximo de bravura, doação pessoal e virtude.

c) Atualmente não sei.

d) Gibis abasteciam de ética o vasto campo da fantasia infantil...

e) ... mas alguns parecem cheios de rancor...

4. Atentando-se para a sintaxe, é correto afirmar:

a) Em A lei e a ordem eram a regra, o segmento grifado é complemento verbal de eram.

b) Na frase Na televisão, os heróis urram, gritam, destroem, torturam, tão estridentes quanto os arqui-inimigos maléficos, o segmento grifado é complemento verbal dos verbos destroem e torturam.

c) Na frase Éramos viciados em gibis, estamos diante de um sujeito indeterminado.

d) Em Gibis abasteciam de ética o vasto campo da fantasia infantil, o segmento grifado exerce a função de objeto indireto.

e) Na frase Eles eram o lado certo que combatia o lado errado, o segmento grifado exerce a função de predicativo do sujeito.

5. O sentido do elemento grifado está expresso adequadamente entre parênteses e em negrito ao final da transcrição em:

a) Viviam o bem na imaginação, porque o bem era a condição do herói. (conquanto)

b) Não era só por exigência da família, da escola ou da religião... (inclusive)

c) Gibis abasteciam de ética o vasto campo da fantasia infantil... (proviam)

d) Parei de ler gibis, só pego um ou outro da seção nostalgia. (antiquário)

e) E acreditem: em boa parte por causa dos heróis dos quadrinhos. (à revelia)

6. O Direito Administrativo pode ser conceituado de acordo com vários critérios. Desse. O que p repondera. Para a melhor doutrina, é o critério do Poder Executivo, segundo o qual o direito administrativo é o conjunto de regras e princípios jurídicos que disciplina a organização e a atividade desse poder.

(     ) Certo             (     ) Errado

DIREITO CONSTITUCIONAL

7. A República Federativa do Brasil nas suas relações internacionais rege-se pelo seguinte princípio:

a) Pluralismo político

b) Cidadania

c) Não intervenção

d) Construção de uma sociedade livre, justa e solidária.

8. Não é(são) fundamento (s) da República Federativa do Brasil:

a) Pluralismo político

b) Dignidade da pessoa humana

c) Valores sociais da livre iniciativa

d) Divisão dos Poderes do Estado

e) Valores sociais do trabalho

9. Quanto aos princípios fundamentais da República Federativa do Brasil, é INCORRETO afirmar que:

a) Se constitui em Estado Democrático de Direito

b) É formada pela união indispensável dos Estados e Municípios e do Distrito Federal

c) O Legislativo, o Executivo e o Judiciário são Poderes da União, independentes e harmônicos entre si.

d) Todo poder emana do povo que o exerce somente de forma direta nos termos da lei.

10. No que diz respeito aos princípios fundamentais, na Constituição de 1988, marque a única opção correta.

a) Os valores sociais do trabalho e do livre capital são fundamentos da República Federativa do Brasil.

b) O Estado brasileiro adota, como um dos seus fundamentos, a soberania popular, a qual pode ser exercida de forma indireta ou direta, nos termos definidos na Constituição Federal de 1988.

c) A garantia do pluralismo político é um dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil.

d) A redução das desigualdades regionais é um dos princípios que rege a República Federativa do Brasil nas suas relações internacionais.

e) A Constituição Federal de 1988 traz a determinação de que o Brasil deverá buscar a integração econômica na América do Sul por meio da formação de um mercado comum de nações sulamericanas.

11. Sobre direitos e garantias fundamentais, marque a única opção correta.

a) É vedada a dispensa do empregado sindicalizado eletio para cargo de representação sindical a paartir de sua eleicção até um ano após o final do mandato.

b) Não é considerado brasiliero nato o nascido na Republica Federativa do Brasil, filho de um estrangeiro, a serviço de seu país no Brasil, com uma brasileira.

c) A Constituição atribui aos portugueses com residência permenamente no Brasil os mesmos direitos inerentes ao brasileiro.

d) Podem concorrer a cargo eletivo todos aqueles a quem a Constituição Federal reconhece capacidade eleitoral ativa.

e) A inelegibilidade reflexa não se aplica àquele que já é detentor de mandato eletivo e é candidato à reeleição.

12. Sobre direitos e garantias fundamentais, na Constituição Federal de 1988, assinale a única opção correta.

a) A lei assegurará aos autores de inventos industriais privilégio apenas temporário para sua utilização.

b) A Constituição Federal reconhece a instituição do júri, assegurando-lhe a imutabilidade dos seus veredictos.

c) A Constituição Federal veda a identificação criminal do civilmente identificado.

d) A liberdade de associação para fins lícitos é plena, não tendo nenhuma restrição no texto constitucional.

e) O exercício do direito de petição aos Poderes Públicos, independentemente de taxas, para defesa de direitos, depende, nos termos constitucionais, de disciplina legal.

Direito Penal: Dos Crimes contra a Administração Pública

13. (FAURGS – 2010 – TJRS – Oficial Escrevente). Daniel, funcionário público, concorreu culposamente para que João, igualmente funcionário público, se apropriasse intencionalmente de valores de que tinham a posse em razão de seus cargos. Ambos foram denunciados pelo Ministério Público, processados e condenados na Justiça Criminal. Daniel, entretanto, após a publicação da sentença condenatória e antes do transito em julgado, reparou o dano causado aos cofres públicos. Pode-se afirmar que:

a) Daniel e João terão a extinção da punibilidade, pois houve a reparação do dano antes do trânsito em julgado da sentença.

b) Daniel e João terão redução de 1/3 da pena imposta na sentença, pois houve a reparação do dano antes do trânsito em julgado.

c) A reparação do dano, mesmo antes do trânsito em julgado da sentença penal condenatória, não tem efeito jurídico

d) Pela reparação do dano, Daniel terá redução de metade da pena imposta na sentença.

e) Pela reparação do dano, Daniel terá redução de 1/3 da pena imposta na sentença.

14. (FCC – 2008 – MPE – RS – Secretário de Diligências). Um policial, durante a ronda noturna, subtraiu para si o toca-fitas de um veículo que estava estacionado na via pulica. Nesse caso o policial responderá pelo crime de:

a) Furto

b) Peculato doloso

c) Apropriação indébita

d) Peculato culposo

e) Prevaricação

15. (FCC – 2008 – MPE – RS – Técnico em informática – Área Sistemas). A respeito do crime de violação de sigilo funcional, considere:

I – Só existe o crime se o funcionário teve ciência do segredo em razão do cargo.

II – Para a caracterização do delito, não é necessário que o funcinário tenha agido com dolo, bastando a ocorrência de culpa.

III – Em se tratando de fato constante de processo judicial, somente existirá o crime se deferido expressamente o segredo de justiça.

Esta correto o que se afirma APENAS em:

a) I e II

b) I

c) II e III

d) I e II

e) III

16. (FCC – 2008 – MPE – RS – Secretário de Diligências) Paulo, policial de trânsito, encontrava-se em gozo de férias e observou um veículo parado em local proibido. Abordou o motorista, de quem, declinando sua função, solicitou a quantia de R$ 50,00 para não lavrar a multa relativa à infração cometida. Nesse caso Paulo

a) Responderá pelo delito de concussão

b) Responderá pelo delito de corrupção ativa

c) Responderá pelo delito de corrupção passiva

d) Não responderá por nenhum delito porque estava de férias

e) Responderá pelo delito de prevaricação

17. (TJ – SC – 2010 – Técnico Judiciário – Auxiliar). O crime de “condescendência criminosa” materializa-se quando:

a) O agente permite a outro funcionário praticar violência ou ameaça a outrem no exercício da fução.

b) O funcionário deixa por indulgencia de responsabilizar subordinado que cometeu infração no exercício do cargo.

c) O agente revela fato que tem ciência em razão do cargo que deveria manter em segredo.

d) O funcionário facilita a inserção de informações falsas nos bancos de dados da Administração Pública com o fim de favorecer ou prejudicar terceiros

e) O agente desautoriza funcionário a ele subordinado a praticar algum ato de ofício.

18. (TJ-SC – 2010 – Técnico Judiciário – Auxiliar). De acordo com o Código Penal, a que pena está sujeito o funcionário público que pratica prevaricação ?

a) Detenção e multa

b) Reclusão e multa

c) Perda do cargo e multa

d) Apenas reclusão

e) Detenção e perda do cargo

19. (CESPE – 2011 – TJES – Comissário da Infância e da Juventude – Específicos). Acerca do direito penal, julgue o item a seguir.

Se A, funcionário público, na companhia de B, que sabe da qualidade funcional de A, retardar ato de seu ofício, infringindo dever funcional, a pedido de terceiro, ambos responderão por prevaricação.

(    ) CERTO      (     ) ERRADO

20. (CESPE – 2008 – SEJUS – ES – Agente Penitenciário). Tendo em vista que o peculato constitui crime em que a lei penal exige sujeito ativo qualificado, ou seja, qualidade de funcionário público, não se admite em tal delito o concurso de pessoas que não detenham a mesma posição jurídica do agente.

(    ) CERTO      (     ) ERRADO

 

Relacionadas