quarta, 14 de novembro de 2018
Geral
Compartilhar:

Polyana Resende e Chico Limeira cantam Chico Buarque em samba

André Luiz Maia / 27 de outubro de 2018
Foto: Reprodução
Chico Buarque tem em sua obra um rosário de canções que falam sobre as belezas e os dissabores da vida em sociedade, sob os mais diversos prismas. Como forma de celebrar este legado e criar um momento único, os cantores Polyana Resende e Chico Limeira se unem no projeto Roda de Samba Buarque, apresentado neste sábado (27) na Miragem.

Ao lado dos dois, estarão no palco também os músicos Potyzinho Lucena, Luis Umberto, Francisco Neto e Alisson Cavalcante para executarem clássicos como "Roda viva", "O que será", "Vai passar", "Samba do grande amor", "Construção", dentre outras.

Tudo começou na prévia do bloco As Raparigas de Chico, realizado em um bar no bairro do Bessa no final do ano passado. "Polyana foi convidada para fazer essa apresentação e precisava de alguém que tivesse o repertório de Chico Buarque na ponta da língua. Daí veio a ideia de me chamar", conta o músico Chico Limeira, integrante de grupos como Trem das Onze, A Troça Harmônica e artista com carreira solo calcada no samba.

Sua intimidade com as canções que o outro Chico escreve é de longa data. "Eu sempre gostei de cantar suas músicas, sempre esteve no repertório do Trem das Onze e no meu repertório de casa. Tem coisas que eu não consigo por em palavras que ele me diz e tem coisas que eu só consigo dizer só porque eu o ouvi. É uma relação de guru mesmo", explica Limeira.

No roteiro, quase 40 canções, entre pot-pourris e momentos separados. É a segunda vez que a dupla faz esse evento na Miragem, desde que a ocupação cultural se instalou na Tamarindeira Processos Criativos, no bairro Miramar. Antes, em pleno pré-Carnaval, a Roda de Samba Buarque passou também pela Miragem, quando esta ainda ocupava a Cosmopopeia, no Centro Histórico.

A ideia era que o projeto acontecesse mensalmente, mas as agendas atribuladas de ambos os artistas não permitiram. Contudo, a proximidade do segundo turno das eleições para a presidência no Brasil acabou vindo a calhar, já que Chico Limeira costuma salientar a importância do repertório de Buarque para o momento.

"Suas músicas provocam muitas reflexões sobre o tempo, a vida, o amor e a humanidade, de maneira muito atemporal. Tem coisas que ele escreveu há 40 anos que são verdades até agora. Quem vai a um show com repertório de Chico Buarque vai com essa expectativa de se relacionar com aquelas palavras, aqueles sentimentos, e isso aconteceu muito forte nessas edições que fizemos", reitera o artista paraibano.

Relacionadas