sexta, 18 de setembro de 2020

Paraíba
Compartilhar:

Operação de combate a crimes contra o Fisco apreende R$ 1,8 milhão em mercadorias ilegais

Redação com assessoria / 18 de setembro de 2015
Foto: MPPB
Um milhão e oitocentos mil reais em mercadorias ilegais apreendidas. Esse foi o resultado da Operação Temática de Enfrentamento aos Crimes Contra o Fisco e Saúde Pública (Otefis). Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (18), durante entrevista coletiva. Durante a ação, que durou cinco dias, houve a apreensão de 8,5 toneladas de alimentos, de 17 veículos, 7.887 itens de contrabando, 133 quilos de entorpecentes (maconha, crack, cocaína, anfetaminas e barbitúricos), 825 unidades de medicamentos, 15 toneladas de carregamento de minérios, oito documentos falsificados, quatro armas e 37 munições.

A operação realizada dos dias 12 a 16 registraram 108 ocorrências por parte da PRF, 45 pela Receita Estadual do Rio Grande do Norte e outras 52 pela Receita paraibana. Nos seis dias, 600 veículos de cargas foram fiscalizados. No total foram retidas mercadorias no valor de R$ 1,8 milhão. Noventa e sete pessoas foram autuadas pela Receita Estadual, num total de R$ 300 mil em multas aplicadas. Outras 37 pessoas foram presas, sete veículos roubados foram recuperados, houve quatro ocorrências de crime ambiental e cinco estrangeiros foram encaminhados para a Polícia Federal (PF).

A operação foi realizada pelo MPPB em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Anvisa, Polícia Militar (PM), Polícia Civil (PC), Secretarias de Receita Estadual da Paraíba e do Rio Grande do Norte, Vigilâncias Sanitárias locais, Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteira (Idesf), Fórum Nacional de Combate à Pirataria (FNCP), Associação Brasileira de Automação (GS1) e Embaixada dos Estados Unidos (Immigrations and Customs Enforcement).

“Além de flagrantes de crimes tributários, apreensão de drogas, armas e veículos roubados, houve até o registro de cinco estrangeiros flagrados com vistos ilegais”, informou o inspetor Jeferson Costa Araújo, da Polícia Rodoviária Federal na Paraíba. “O nosso objetivo foi alcançado, que é o de proteger a população, contendo a violência”, completou o promotor de Justiça Francisco Glauberto Bezerra, diretor-geral do MP-Procon.

Relacionadas