quinta, 26 de novembro de 2020

Paraíba
Compartilhar:

DISPUTA PELO COMANDO DO MPPB JÁ TEM SETE CANDIDATOS

Redação / 13 de junho de 2017
Foto: Reprodução












A eleição para a posição de procurador-geral de Justiça do Ministério Público da Paraíba já tem sete candidaturas registradas. Os promotores Clístenes Holanda, João Geraldo, João Arlindo Corrêa Neto, Francisco Seráphico, Amadeus Lopes, além dos procuradores Valberto Lira e José Roseno já se candidataram ao cargo.

O período de inscrições se iniciou na última quinta-feira (1), continua até o dia 15 de junho. A eleição acontecerá no auditório da Procuradoria Geral de Justiça, na capital paraibana, no dia 29 de julho, das 8h às 16h.

A lista tríplice será composta pelos três mais votados e será dirigida para o governador Ricardo Coutinho, que indicará o novo procurador-geral. O escolhido vai comandar os trabalhos do  Ministério Público Estadual no biênio de 2017-2019.

Perfil dos candidatos registrados

O promotor João Geraldo, 55 anos, natural de João Pessoa, ingressou no Ministério Público da Paraíba em junho de 1991, iniciando suas atividades funcionais como promotor de Justiça titular da Promotoria de Justiça de Pocinhos. Na sequência, foi também promotor de Justiça titular das Promotorias de Justiça de Sousa, Cajazeiras, Campina Grande e João Pessoa, onde já exerceu a titularidade da 12ª Promotoria Cível e da Promotoria de Defesa dos Direitos da Saúde.

O promotor Clístenes Bezerra de Holanda nasceu em Campina Grande, a 21 de junho de 1973. Graduou-se em Direito pela Universidade Federal da Paraíba em 1995. Foi advogado de 1996 a 1998 e analista do Poder Judiciário estadual de 1999 a 2001. Ingressou no Ministério Público da Paraíba (MPPB) a 13 de fevereiro de 2001 como promotor titular da Promotoria de Prata. Em abril de 2016, foi promovido para a Promotoria de Defesa da Mulher de Campina Grande da qual é titular até os dias atuais.

O procurador Valberto Cosme de Lira, 68 anos, natural de Umbuzeiro, ingressou no Ministério Público da Paraíba em maio de 1981, iniciando suas atividades funcionais como promotor de Justiça substituto na Comarca de Conceição. Enquanto esteve no exercício da Promotoria de Justiça de Conceição, substituiu as Comarcas de Itaporanga, Piancó, Coremas e Bonito de Santa Fé.

O promotor João Arlindo Corrêa Neto, que tem 56 anos e é natural de João Pessoa. Possui graduação em Direito pela Universidade Federal da Paraíba(1984). Atualmente é Professor do Fundação Escola Superior do Ministério Público da Paraíba, Promotor de Justiça do Ministério Público do Estado da Paraíba, Membro do Ministério Público do Estado da Par do Ministério Público do Estado da Paraíba, Membro do Ministério Público do Estado da Par do Ministério Público do Estado da Paraíba, Professor Assistente da disciplina D. Penal do Centro Universitário de João Pessoa, Não há do Associação Paraibana do Ministério Público e Não há do Associação Nacional dos Membros do Ministério Público. Tem experiência na área de Direito.

O 2º promotor de Justiça da Promotoria de Justiça Cumulativa de Santa Rita, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, é mestre em Direitos Humanos pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), especialista em Direito Processual pela UNP e professor do Centro universitário de João Pessoa (Unipê).

O 3º promotor de Justiça da Fazenda Pública de João Pessoa, Amadeus Lopes Ferreira tem 57 anos e é natural do município paraibano de Santana dos Garrotes. O promotor ingressou no Ministério Público da Paraíba (MPPB) no ano de 1996, iniciando suas atividades funcionais pela Promotoria Cumulativa de São Bento. Em seguida, Cajazeiras, Mamanguape e Campina Grande. Durante sua jornada, exerceu variadas atribuições perante as Promotorias do Júri e Criminais, Cíveis e da Família, da Infância e Juventude, Meio Ambiente, do Consumidor, da Cidadania, Patrimônio Público, Juizados, Cível e Criminal, promotor eleitoral de João Pessoa e, por fim, na titularidade da Promotoria Especializada da Fazenda Pública da Capital, sendo que, atualmente, desempenha a função de promotor-convocado no cargo de 3º procurador de Justiça Criminal.

O procurador José Roseno Neto tem 66 anos, é natural de Aguiar, Sertão do estado da Paraíba. Atualmente exerce suas atribuições como 2º procurador de Justiça Criminal e, cumulativamente, como 1º conselheiro do Conselho Superior do Ministério Público, membro da Comissão de Elaboração Legislativa (CEL) e substituto do 1º procurador de Justiça Criminal.













Relacionadas