quinta, 25 de fevereiro de 2021

Geral
Compartilhar:

Operação da Polícia Civil mira cidade do Conde

Alexandre Kito / 27 de julho de 2017
Foto: Assuero Lima
A ex-secretária de Finanças do município do Conde, Andrea Soares da Silva, foi conduzida coercitivamente pela polícia, nesta quarta-feira (26) suspeita de participar de uma organização criminosa responsável por lavagem de dinheiro e de desviar mais de R$ 3 milhões no município.

A operação foi conduzida pelo Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual (MPPB). A Polícia Civil não descartou o envolvimento de outros políticos da gestão realizada pela ex-prefeita Tatiana Correia (PTdoB). Pelo menos mais seis pessoas são investigadas por envolvimento no esquema. A operação coordenada pelos delegados Állan Murilo Terruél e Karina Torres, do GOE, cumpriu mandados de busca e apreensão na casa da ex-secretária, no bairro dos Bancários, em João Pessoa.

Segundo o delegado, foram apreendidos cheques, dinheiro em espécie, aparelhos celulares e documentos da prefeitura. O material foi levado para a sede do Gaeco. “Ela possui um patrimônio a descoberto, que indica sim que é oriundo de crime de corrupção usado para comprar apartamentos e outros bens. Temos outras pessoas envolvidas e tudo indica que é uma organização criminosa que envolve também políticos”, explicou o delegado. Terruél disse ainda que a ex-secretária confirmou que está disposta a colaborar com a polícia. “O objetivo é combater os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro e Andrea já antecipou que vai colaborar com a investigação. O depoimento dela vai colaborar para saber se há participação da ex-prefeita”, disse o delegado do GOE. Foram três mandados de busca e apreensão e de acordo com o delegado, o material apreendido na casa da ex-gestora será fundamental para comprovar os indícios de corrupção. “Tudo o que foi encontrado evidenciam todo o estudo investigativo que está sendo elaborado. A busca na casa da Andrea esclareceu muito”, revelou.

Novas diligências

Após a condução coercitiva, a ex-secretária de Finanças prestou depoimento que vai contribuir para novas diligências. Mais evidências ainda serão apresentadas sobre o caso. Segundo o promotor de Justiça do Gaeco, Romualdo Tadeu de Araújo Dias, outras prefeituras paraibanas também estão sendo investigadas. “Essas organizações criminosas vêm trabalhando e essa conjunção entre a Polícia e o MPPB tem ajudado a desbaratar e colocar essas pessoas na cadeia. Temos um foco muito forte no combate à corrupção e temos outras investigações em curso também nesse sentido”, disse o promotor. O MP também estuda pedir o sequestro e bloqueio de bens em nome dos supostos beneficiados no esquema.

 

Relacionadas