terça, 02 de março de 2021

Geral
Compartilhar:

‘Marcha pela Vida’ discute legalização do aborto em João Pessoa

Redação / 27 de maio de 2017
Foto: Reprodução/Facebook 'Marcha Pela Vida-RJ'/Ilustração
Integrantes de segmentos religiosos e instituições da sociedade civil organizada participam neste domingo (28) da I Marcha pela Vida de João Pessoa, que parte da Avenida Ministro José Américo (Beira Rio) com destino ao Busto de Tamandaré, onde acontece um show musical. O objetivo do evento, segundo os organizadores, é defender a vida desde o momento da concepção e informar a população sobre os mitos acerca da legalização do aborto. A concentração será às 17h em frente à lanchonete Empadinhas Barnabé.  O evento será promovido pelo Comitê Paraibano da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO NO FIM DA MATÉRIA

“Vamos nos manifestar, de forma pacífica, contra a decisão arbitrária do Supremo Tribunal Federal de se posicionar favorável à descriminalização do aborto até o terceiro mês de gestação. Também somos contrários ao julgamento para a legalização do aborto nos casos de gestantes com vírus da Zika, que indica uma sentença aos bebês com microcefalia”, disse André Luiz Lucena, coordenador do Grupo Espírita Ave Luz e membro do Comitê Paraibano da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto.

Durante o evento, serão repassadas informações sobre o Estatuto do Nascituro e a PEC da Vida, que tramitam no Congresso Nacional. A marcha encerrará a Campanha em Defesa da Vida, que acontece desde o início do mês com palestras, panfletagens e visitas às maternidades. No último domingo, 80 voluntários percorreram cerca de 50 km, da Ponta do Seixas à Cabedelo, distribuindo panfletos contendo mitos e verdades sobre a legalização do aborto.

O evento contará com a participação dos grupos Acorde, Canto & Luz, Limiar,  Harmonia & Luz e do músico Yuri Carvalho, da Banda ADZ. Também haverá distribuição de panfletos.

Brasil tem 100 mil abortos por ano

Um relatório publicado em 2016 pela Organização Mundial da Saúde e pelo Instituto Guttmacher e repassado pelos organizadores apontou que uma em cada quatro gestações acaba em aborto. São cerca de 56 milhões de vidas interrompidas a cada ano em todo o mundo.  No Brasil, são aproximadamente 100 mil casos por ano, segundo o Ministério da Saúde.

“Os grupos que defendem a legalização do aborto divulgam números falsos, que, de tanto serem repetidos, acabam aceitos como verdades. Nossa missão é esclarecer a sociedade sobre a realidade que cerca o aborto, tendo como premissa fundamental o fato de se atentar contra a vida de um ser humano que, com respaldo da ciência, inicia-se na concepção”, disse André.

Relacionadas