quinta, 03 de dezembro de 2020

História
Compartilhar:

Em 1962, Costa e Silva esteve na Paraíba para vigiar o governador Pedro Gondim

Adelson Barbosa dos Santos / 20 de dezembro de 2015
Foto: Arquivo
Na condição de comandante do IV Exército, sediado em Recife, o general Arthur da Costa e Silva esteve na Paraíba, no auge das Ligas Camponesas, no ano de 1962. No bojo da gestação do Regime Militar, Costa e Silva veio colher provas, in loco, sobre o modo de atuação de lideranças políticas e camponesas na exaltação ao comunismo.

As provas incluíam também ataques das lideranças aos militares que ameaçavam derrubar o presidente João Goulart. Jango, como era conhecido, assumiu a Presidência nda República no dia 7 de setembro de 1961, depois da renúncia de Jânio Quadros, no dia 5 de agosto do mesmo ano.

Os dois políticos se elegeram presidente (Jânio) e vice (Goulart) em 1960. Naquela época, a chapa não era unificada. O eleitor votava para presidente de um partido e podia votar para vice de outra legenda.

Jango foi eleito vice em chapa de oposição a Jânio Quadros.

Com a renúncia de Jânio, alguns militares tentaram impedir a posse de Jango, que estava na China. De imediato, os militares cuidaram em assegurar a posse do presidente da Câmara Federal, Ranieri Mazilli. O clima ficou tenso no País.

Leia a reportagem completa no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas