segunda, 21 de setembro de 2020

Geral
Compartilhar:

Greve dos bancários começa forte e recebe 90% de adesão da categoria na Paraíba

Edson Verber / 07 de outubro de 2015
Foto: Assuero Lima
A greve dos bancários começou forte com mais de 90% da categoria parada. Em grandes cidades como Patos, Guarabira, Campina Grande, Bananeiras e Pombal todas as agências estão fechadas, a exemplo da grande maioria de João Pessoa. Os bancários querem reajuste de 16% e os bancos oferecem 5,5%.

LEIA MAIS: Greve dos bancários na mira dos Procons: ações civis são movidas para evitar prejuízos

Na Capital, apesar da forte adesão da categoria, o único banco que teve grandes filas no primeiro dia da paralisação, no Centro da cidade, foi o Itaú da Lagoa do Parque Solon de Lucena. Nele, aposentados tiveram de passar até três horas na fila para receber o benefício. Nas demais agências a movimentação foi normal. No Banco do Brasil e na Caixa Econômica as reclamações foram de clientes que queriam realizar depósitos, mas não tinha envelopes nos caixas eletrônicos.

O funcionário que dava assistência aos aposentados no Itaú da Lagoa, que pediu para não ser identificado, disse que “a fila está grande porque esta agência concentra um grande número de aposentados, mas até o final do expediente estaria tudo normal. Já na agência do Itaú da Rua Duque de Caxias a fila do caixa eletrônico era normal e no interior da agência vários aposentados fizeram desbloqueio de cartões, revalidação de senha e prova de que está vivo.

“Como acontece todos os anos, o Comando de Greve nos orienta para dar todo atendimento necessário aos aposentados, para garantir que recebam seus proventos sem problemas. Isto está sendo feito e não temos nenhuma anormalidade”, disse Carlos Hugo Carvalho Guimarães, diretor do Sindicato dos Empregados Estabelecimentos Bancários da Paraíba, que estava no piquete no Banco Itaú.

No Bradesco

Na maior agência do Bradesco, na Rua Duque de Caxias, em João Pessoa, a paralisação era total na parte dos caixas executivos e burocracia, com presença apenas dos gerentes. No setor dos caixas eletrônicos dois funcionários davam orientações às pessoas que necessitavam. “Tá tudo parado aqui, mas como acontece todos os anos a direção do banco deve entrar com uma ação de interdito proibitório, para abrir a agência”, disse um dos membros do piquete que não quis se identificar.

Reclamações

Na grande fila de aposentados no Itaú da Lagoa, chamava a atenção de todos a presença da aposentada de 80 anos, Lindalva Virgínia da Silva, doente de osteoporose e que não podia ficar na fila. “Eu cheguei nove horas aqui, já são 11h e até agora minha filha, que está na fila, pois não posso ficar muito tempo em pé, não conseguiu receber minha aposentadoria. O jeito é esperar”, disse Dona Virgínia

Outros que estavam na fila eram Maurício Moreira Dutra, residente no Costa e Silva, e Albertino Pereira de Matos, do Jardim Veneza. “Eu cheguei 10h30, já é 11h e eu só consegui subir um degrau”, disse Maurício, enquanto Seu Albertino, aposentado por invalidez, informou ter chegado às 8h.

Proteste orienta

Diante da greve dos bancários por reajuste salarial, a Proteste Associação de Consumidores orienta os consumidores a utilizar meios alternativos para quitar seus compromissos. O consumidor não pode se valer da greve para protelar os pagamentos. Por isso, deve ficar alerta à data de vencimento das contas e procurar um meio alternativo para quitá-las, evitando-se, assim, problemas futuros.

Quem tem conta para pagar e não dispõe de cartão para uso do caixa eletrônico, pode recorrer às agências lotéricas e até lojas de departamentos que aceitam a quitação de diversas contas. Mas o cliente que precisa sacar dinheiro na boca do caixa deve entrar em contato por telefone com o banco e solicitar uma alternativa. Quem movimenta a conta pela internet - nos sites dos bancos - ou nos caixas eletrônicos, não deve ser afetado pela paralisação, pois esses serviços devem continuar a funcionar normalmente.

PROPOSTA DOS BANCÁRIOS:

- Mais contratações

- 16% de reajuste salarial (sendo 5,7% de ganho real)

- Investimentos em prevenção a acidentes/segurança

- Melhor participação nos lucros e resultados

CONTRA PROPOSTA DA FENABAN:

- Reajuste de 5,5% no salário, também na PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche

- Abono de R$ 2,5 mil

Relacionadas