domingo, 15 de julho de 2018
Geral
Compartilhar:

Frequentadores denunciam insegurança no Açude Novo, principalmente à noite

Wênia Bandeira / 27 de fevereiro de 2018
Foto: CHICO MARTINS
Uso de drogas, esconderijo de armas e local de assaltos e agressões. O Parque Evandro Cruz, popularmente conhecido como Açude Novo, em Campina Grande, que passou muito tempo como pólo de cultura e diversão, agora é apontado como lugar de todos estes crimes, segundo frequentadores do local.

“A noite é muito perigoso porque não tem iluminação e a gente sequer conseguir ver quem está por aqui. Tem muita gente que se aproveita desse lugar”, contou o adestrador de cães, José Sales, 57 anos, que passeia pelo local apenas durante o dia.

De acordo com ele, pessoas usam drogas e adolescentes consomem bebidas alcoólicas livremente. “É um lugar abandonado pelo poder público, era muito bom, mas não conseguiram manter”, completou.

O medo faz com que as pessoas apressem o passo quando precisam cruzar o parque. A dona de casa, que não quis se identificar, disse que faz o possível para não passar pelas ruas adjacentes quando o dia escurece.

“Passar por aqui à noite, nem pensar. Muitos começam já a roubar no fim da tarde, então eu prefiro nem passar perto daqui”, comentou. Ela estava com o filho de sete anos quando se dirigia ao Centro da cidade.

Além dos problemas com a segurança, o Açude Novo ainda sofre com pichações e aparelhos quebrados. A dona de casa afirmou que sente falta do tempo em que o local era mantido limpo, sem interferências da população.

“Eu lembro quando vinha para cá durante o São João. Tinha festa aqui e o lugar era bem bonito”, comentou.

PM. O comandante do 10º Batalhão da Polícia Militar, tenente coronel Cunha Rolim, disse que já foram feitas prisões de pessoas que cometeram roubos no local. Os assaltantes estariam se escondendo no parque para poder realizar assaltos no Terminal de Integração de Ônibus da cidade. “Eles escondem gravetos, armas brancas por lá. Não é nada de muito importante, mas fizemos algumas operações na área e, de vez em quando, tiramos alguns deles de circulação, mas a Justiça solta logo depois”, afirmou.

Segundo o comandante, é de conhecimento da polícia que usuários de drogas frequentam o lugar. “É melhor uso de drogas por lá ou na sua porta? Não é uma coisa sistemática, que acontece todos os dias ou que leva perigo frequente às pessoas. São coisas que acontecem hoje lá, no outro dia em outro ponto”, falou.

Relacionadas