sábado, 19 de outubro de 2019
Geral
Compartilhar:

Folia de Rua começa em JP com ‘sofrência’ e maracatu; veja programação

Aline Martins / 21 de fevereiro de 2019
Foto: Divulgação
A alegria vai tomar conta hoje do Ponto de Cem Réis, no Centro de João Pessoa, com a abertura da programação do Folia de Rua. A partir das 19h se apresentam Márcia Fellipe, Banda Fulô Mimosa e Orquestra Splok. Este ano, a prévia e o Carnaval, que integra o Carnaval de Boa 2019, homenageiam o Centenário do cantor paraibano Jackson do Pandeiro. Hoje desfilam sete blocos gratuitos, sendo cinco que tem a concentração na área central da cidade. Por conta disso, foi montado um plano de trânsito e de saúde nos locais onde haverá festa. Já o esquema de segurança só será divulgado hoje, conforme informou a Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social (Seds). Ontem, foi lançada a campanha “Meu corpo não é sua folia”, que visa conscientizar a população de que a importunação sexual é crime prevista em lei.

Neste ano serão 11 dias de desfiles de blocos na prévia carnavalesca que contam com muito axé e frevo. Desfilam hoje os blocos Anjo Azul, Pinguim, Cueca, Confete e Serpentina, Jaguaribe Folia, Maluco Beleza e Piratas dos Bancários. Com intuito de facilitar a chegada e a saída dos foliões, a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP) fará a interdição de um trecho da Avenida Visconde de Pelotas. O bloqueio acontece em dois pontos, ficando proibido o acesso à via a partir da Praça João Pessoa e da Rua Arthur Aquiles, a partir das 18h. Os bloqueios serão monitorados permanentemente por agentes de mobilidade, que também orientarão os desvios.

Quem estiver trafegando em direção à Praça 1817 terá que seguir pela via baixa, acessando a Padre Meira para chegar até o Parque Solon de Lucena. Para acessar a Visconde Pelotas a melhor alternativa é a Avenida Barão de Abiaí. Aqueles que forem de ônibus, as 12 linhas “Tetéu”, que circulam no turno da noite, terão duas viagens a mais, passando a fazer o seu itinerário seis vezes entre meia-noite e 4h30 (horários de saída do Terminal de Integração).

Já para o atendimento médico de hoje, será instalado, no Ponto de Cem Réis, um Posto Médico e duas Unidades de Suporte Básico. Já para os blocos que desfilam na Epitácio Pessoa, a Via Folia, o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) estará com posto médico e uma USB no estacionamento do supermercado Pão de Açúcar. Outra USB estará na concentração e acompanhará os blocos e uma dupla de motolâncias seguirá na frente dos mesmos.

No domingo e na quarta-feira, na lateral do supermercado estará uma Unidade de Suporte Avançado e uma Unidade de Suporte Básico. O serviço também contará com ambulâncias do tipo USB no cruzamento das avenidas Epitácio Pessoa com Miguel Sátiro e concentração e dispersão do bloco.

Para o desfile do bloco do Cafuçu, que acontece no dia 1° de março, na Praça Dom Adauto, no Centro, o Samu estará com duas Unidades Básicas de Suporte de Vida para prestar atendimento. E entre os dias 2 e 4 de março, quando acontece o Carnaval Tradição, o serviço contará com uma UBS na Avenida Duarte da Silveira. A Polícia Rodoviária Federal (191), junto com o Samu (192), devem ser acionados para acidentados nas rodovias. Já quando se tratar de ferimentos por arma de fogo e arma branca, o serviço deve ser acionado em conjunto com a Polícia Militar (190). Em casos de afogamentos e choques elétricos deve ser acionado em conjunto com o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193.

Já o esquema de segurança só será divulgado hoje, pela manhã, pela Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social (Seds), Polícias Militar e Civil.

Programação dos blocos gratuitos (21/02)



Bloco Anjo Azul

Concentração Beco da Faculdade de Direito, 20h, com Orquestra de Frevo, Maracatu Pé de Elefante, Gabriel do Egito.

Bloco Pinguim

Concentração Praça João Pessoa, às 19h, com Orquestra de Frevo

Bloco da Cueca

Concentração Ponto de Cem Réis, às 20h, com Orquestra de Frevo

Bloco Confete e Serpentina

Concentração Praça Dom Urico, às 20h, com Orquestra de Frevo Gambiara, Mirandinha

Bloco Jaguaribe Folia

Concentração Avenida 1º de Maio, em frente à Escola João Machado, às 19h, com Gil Bala, Us Barões

Bloco Maluco Beleza

Concentração Em frente ao Sintep, 19h, com Liss Albuquerque, Maestro Kiko, Alexandre Seixas.(Cover do Raul Seixas)

Bloco Piratas dos Bancários

Concentração Av. Flamboyant em frente ao Restaurante Divino Paladar, 18h, com Banda Tuareg´s, Orquestra de Frevo Mestre Quimba, Guitarrista James, DJ Adriel.

“Meu corpo não é sua folia”



“Meu corpo não é sua folia!”, “Não é Não”, “Beijo, arrocho ou passar a mão só pode com minha permissão”, “Ser importunada não é brincadeira de Carnaval. É crime. Denuncie”, “Ei, cara! Folia não combina com importunação. Não é Não”. Essas são algumas frases que serão utilizadas em leques, banners, spot de rádio, posts em redes sociais e um vídeo, que será veiculado por empresas parceiras de televisão, com intuito de conscientizar a população sobre o crime de importunação sexual contra mulheres. A ação faz parte da campanha “Meu Corpo Não é Sua Folia”, que foi elaborada pelas instituições e movimentos que integram a Rede Estadual de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica e Sexual, e lançada ontem pela vice-governadora Lígia Feliciano, no auditório da PBTur, na Capital.

O evento contou com a presença de instituições governamentais e blocos carnavalescos como Muriçocas do Miramar, Cafuçu e representantes do Folia de Rua.

“A campanha faz um alerta na prevenção e denúncia de crimes de importunação sexual e violência doméstica para que as mulheres se sintam apoiadas e busquem a Polícia Civil para denunciar. Agarrar, beijar a força e violar o corpo sem consentimento não será banalidade. Estamos apoiando todas as mulheres e estamos juntas com toda a rede de proteção nesta campanha”, disse a vice-governadora.

A ideia é trabalhar na prevenção e na denúncia de crimes de importunação sexual e violência doméstica durante o Folia de Rua e o Carnaval 2019. Segundo a coordenadora da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), a juíza Graziela Queiroga Gadelha, anteriormente, algumas pessoas sofriam importunação no seu corpo e não havia tipificação.

“Alguém que passa a mão, alguém que dá um encochamento, alguém que beija sem a outra parte querer: todas essas condutas, antes do crime de importunação sexual, que veio a ser tipificado agora em setembro de 2018, era tida como um constrangimento ilegal, contravenção de cunho menor, ou mesmo ia para o máximo de um estupro, que algo desejável porque não se tratava exatamente desse delito. O legislador veio em boa hora tipificar essa conduta”, afirmou.

Ainda de acordo com a juíza, a campanha visa massificar o conhecimento da lei de importunação sexual, que ainda é pouco divulgada, e da importância de denunciar a violência doméstica.

“Que a gente brinque, beije, se divirta desde que haja consentimento da outra parte. Algo que não é bom para os dois não deve ser feito”, frisou.

Além disso, informou que essa lei abrange os casos de importunação sexual nos transportes públicos e a ideia é expandir a divulgação após o período de Carnaval. Lembrou ainda que a mulher pode denunciar os casos nas delegacias e nos pontos de polícias que estará em uma área específica dos desfiles. A vítima pode fotografar ou levar testemunhas da importunação para a denúncia.

Os blocos pré-carnavalescos em todo o Estado, especialmente o Folia de Rua da Capital e o período do Carnaval (de 2 a 5 de março), são alvos da campanha.

A coordenadora das Delegacias de Atendimento Especializado da Mulher (Deams), a delegada Maísa Félix, disse que “a importunação sexual é quando o indivíduo toca em você para satisfazer as suas lascívias. Ele passa a mão nas suas nádegas, nas suas partes íntimas, ele faz o beijo roubado sem a sua permissão. Agarra você e passa a mão em seu corpo. Tudo isso entra na importunação. Não é Não”, citou a delegada com alguns exemplos.

Maísa Félix contou que ao ser preso por esse crime, a pessoa será encaminhada a delegacia de polícia para ser autuado em flagrante. “Não haverá fiança, pois a penalidade vai de 1 a 5 anos. Será encaminhado a audiência de custódia”, afirmou.

Agora é crime



A importunação sexual prevista na Lei 13.718/18, do Código Penal, significa ato libidinoso na presença de alguém e sem seu consentimento. O caso mais comum é o assédio sofrido por mulheres em transportes coletivos ou em eventos de grande aglomeração popular, como o Carnaval.

A Lei prevê punição de 1 a 5 anos e também pune quem divulgar cenas de estupro por qualquer meio audiovisual. Como a Lei Maria da Penha, a legislação sobre importunação sexual é mais um mecanismo de proteção às mulheres. “A campanha vai estimular a denúncia das ocorrências à Polícia. O mote ‘Meu corpo não é sua folia’ significa que nenhuma mulher pode ter seu corpo tocado ou ser importunada de qualquer forma sem seu consentimento”, afirma a secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Soares.

Relacionadas