domingo, 15 de julho de 2018
Entrevista ao Correio
Compartilhar:

Leonardo Boff : “Tecnologia não chega ao coração”

Luiz Carlos Sousa / 17 de janeiro de 2016
Foto: Rafael Passos
Não será através da tecnologia que homem conseguirá ser mais solidário e fraterno com o próximo. Para o teólogo Leonardo Boff, os instrumentos colocados à disposição da humanidade deveriam ajudar na comunicação, no entanto, “hoje cada um está ligado a todos, mas vive solitário e num mundo virtual, no fundo, falso”, ressalta. Nessa conversa com o Correio, frei Leonardo Boff chama a atenção para o lixo que a superprodução econômica está legando ao Planeta e provocando uma degradação intensa. “Acho que vamos ao encontro de uma grande crise. Então, mudaremos. Caso contrário nossa espécie pode desaparecer”.

Leia trechos da entrevista abaixo:

- A produção econômica mundial chegou a um patamar que não pode mais ser consumida. O senhor acredita que esse excedente se tornará um lixo para o qual o planeta não está preparado?

- Hoje o que o sistema dominante mais produz é lixo. A natureza não conhece lixo,sempre o reelabora. A Terra não tem condições de fazer isso. Por isso a degradação é imensa.

- O que a população pode fazer para evitar uma dependência completa de governos e empresas, partindo para uma posição de vanguarda nessa luta?

- A luta é desigual. Por enquanto fazemos resistência senão o sistema toma conta de tudo. Mas a perspectiva é avançar. Aí temos muito que fazer ainda. Mas temos esperança.

- Ainda há esperança de salvar o planeta desse excesso de produção?

- Sou da opinião de que o ser humano só aprende mesmo com o sofrimento e muito pouco com a argumentação. Acho que vamos ao encontro de uma grande crise. Então mudaremos. Caso contrário nossa espécie pode desaparecer.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas