terça, 13 de novembro de 2018
Geral
Compartilhar:

Disputa pela presidência da Assembleia Legislativa já tem 10 nomes

André Gomes e Nice Almeida / 10 de outubro de 2018
Foto: Reprodução
Quatro dos 10 deputados estaduais que pretendem disputar a presidência da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) na próxima legislatura aproveitaram a sessão dessa terça-feira (9) da Casa para anunciar a candidatura. Branco Mendes (Podemos), Tião Gomes (Avante), Ricardo Barbosa (PSB) e Estela Bezerra (PSB) já caíram em campo para conquistar o apoio dos colegas.

Adriano Galdino (PSB), Buba Germano (PSB), Hervázio Bezerra (PSB), Genival Matias (Avante), Jeová Campos (PSB) e Cida Ramos (PSB) também são cotados para o cargo.

Branco Mendes disse que já começou a conversar com os deputados sobre sua pretensão na disputa pela presidência, destacando a experiência adquirida depois de ter passado pela secretaria e Comissões da Casa. “Eu tenho a experiência de já ter sido primeiro secretário da Mesa, estou na segunda Secretaria, conheço os trâmites de como funciona o Poder Legislativo e meu nome vai estar sempre à disposição para que possamos, daqui pra frente, formar um diálogo entre os 36 parlamentares”, disse.

O deputado Tião Gomes disse que a disposição do seu nome para a disputa se deve a um desejo do partido que conseguiu garantir a segunda maior bancada na próxima legislatura, com quatro deputados.

“Sou briguento, nunca fiquei em cima do muro, mas nunca envergonhei o Poder Legislativo. Tenho merecimento. Nada mais justo do que ser coroado pelo meu trabalho na Assembleia”, destacou, lembrando do ex-deputado José Lacerda Neto. “Quero ser igual a ele com muitos mandatos, mas diferente em um aspecto: quero ser presidente desta Casa”.

Ricardo Barbosa disse que, antes de qualquer coisa, conversará com o governador Ricardo Coutinho (PSB), com o governador eleito, João Azevêdo (PSB) e com o atual presidente da Casa, Gervásio Maia (PSB) sobre a eleição para a composição da Mesa.

“Seria um motivo de muito contentamento e realização pessoal. Para ser candidato é preciso que você transite bem, tenha essa relação boa com o Poder Executivo, com o novo governador e com o Legislativo, porque na eleição da Mesa os votos são dos deputados”, afirmou Barbosa.

Candidatos se anteciparam

O deputado Adriano Galdino (PSB), que já foi presidente da Assembleia, também chegou a falar sobre a pretensão de concorrer novamente. Segundo ele, a construção da nova Mesa Diretora da Assembleia deve ser feita em consenso.

“Acho que todos os 36 deputados eleitos sonham em ser presidente. Mas isso é uma construção que não depende de mim. Passa, obviamente, não só pelo governador Ricardo, como também pelo governador eleito, os deputados da base do governo e dos demais deputados da Casa”, frisou.

Ainda no domingo, a deputada eleita mais bem votada, Cida Ramos (PSB), já havia anunciado o interesse na disputa. Ela teve 50.048 votos. Questionada sobre a possibilidade de disputar um cargo na Mesa Diretora da ALPB, Cida afirmou que a quantidade de votos que ela teve a credencia a disputar a vaga.

“Eu acho que estou chegando agora, mas essa votação me credencia a compor a mesa da Assembleia. Sempre disse a João e a Ricardo, sempre coloquei nas minhas falas que o povo da Paraíba daria um presente a Ricardo e o presente que o povo deu foi a continuação do trabalho dele”, destacou Cida.

O deputado Jeová Campos também se colocou a disposição do seu partido, o PSB, para se candidatar a presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) no biênio 2018/2020. O socialista obteve 31.017 votos. Jeová afirmou que o PSB é a maior bancada e precisa ter o presidente da ALPB.

“Seria um prazer comandar aquela casa. Muita coisa passa pelos nossos comandantes, o governador eleito e o atual Ricardo Coutinho. Estou preparado para ser o presidente se entenderem assim,” disse.

Oposição quer espaços

Os integrantes da bancada de oposição para próxima legislatura na Assembleia Legislativa devem se unir em torno da eleição da nova Mesa Diretora.

A deputada Camila Toscano (PSDB) destacou que os oposicionistas devem se unir em busca do fortalecimento no Parlamento e para eleição na próxima legislatura.

Camila defendeu que a oposição precisa ter representação na Mesa. Ela lembra que há novos deputados e ‘bons nomes’ que serão importantes para o pleito na Casa. “Vamos fazer como fizemos nesses quatro anos: mostrar o que está errado na Paraíba, mas de forma responsável, sem fazer politicagem”, argumentou a parlamentar.

Apesar das propostas para união, Camilla acredita que é cedo para discutir liderança da oposição no próximo biênio. Segundo ela, ainda é necessário ‘digerir’ a eleição e a entrada e saída de colegas deputados. As decisões devem acontecer no próximo ano, quando se aproximar o momento da posse dos novos deputados.

Para o deputado Tovar Correia Lima (PSDB), ainda é cedo para falar em eleição da Mesa já que a posse para a nova legislatura só acontece em fevereiro de 2019.

“Ainda faltam quatro meses para que se aconteça essa votação. Então acho precipitado, na primeira sessão legislativa depois da eleição essa discussão de quem será o presidente. Mas não deixa de ser importante com a discussão para que possamos encontrar um caminho e um norte para o nome do novo presidente já que o atual foi eleito para um mandato de deputado federal. E aí vamos discutir mais pra frente com os postulantes para se encontrar o melhor caminho para a Assembleia Legislativa”, disse.

 

Relacionadas