quinta, 26 de novembro de 2020

Geral
Compartilhar:

Confira quatro destinos nacionais por menos de R$ 500 saindo de João Pessoa

Da Redação / 18 de agosto de 2017
Apesar da proximidade do estado da Paraíba com diversos destinos nordestinos que arrastam multidões do Sudeste e até de outros países, como Argentina e Chile, poucos paraibanos conhecem a região privilegiada em que estão, mesmo com mais passagens aéreas baratas disponíveis.

Para além das capitais, como o Correio da Paraíba já mostrou, existem destinos alternativos na região que, para além de pontos turísticos para qualquer brasileiro, contam histórias sobre a própria cultura nordestina, seja na religião, no folclore ou na alimentação.

Um exemplo disso é Petrolina, em Pernambuco, já na divisa com a Bahia. Às margens do Rio São Francisco, é uma das cidades mais admiradas do Brasil por instituições internacionais, que colocaram o município na lista dos 20 locais do “futuro” do país. Para além dos reconhecimentos, pouca gente sabe que é uma região produtora de vinho – cujas uvas são irrigadas com as águas do rio – e que inclusive já ganhou prêmios pela produção da bebida.

“Ou seja: não precisa nem ir para São Paulo ou Rio de Janeiro para tomar um bom vinho”, comenta o consultor de turismo Ricardo Hardih, que trabalha em uma agência de viagens de João Pessoa. Para ele, no entanto, há um aumento de interessados em conhecer o Nordeste. “É perceptível que as pessoas daqui estão se preocupando mais em saber sobre a região”.

A seguir, o Correio da Paraíba indica quatro destinos localizados no Nordeste por menos de R$ 500 saindo do Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto:

Juazeiro do Norte (CE)

Apesar da pouca oferta de voos diretos entre a capital paraibana e a cidade na região do Cariri, no Ceará, os preços não costumam passar dos R$ 500. Segundo dados do QuandoViajar, ferramenta do site de passagens aéreas ViajaNet, um bilhete de ida e volta entre os dois destinos pode sair por R$ 499 para agosto.

Ainda que possua diversas inclinações turísticas, é o seu peso religioso na região nordestina que faz com que, a cada ano, milhões de pessoas conheçam Juazeiro. Em 1969, mais de 30 anos após a morte de Padre Cícero – um dos maiores religiosos da história do país –, uma estátua de 27 metros foi inaugurada no alto da colina ao lado do município para homenageá-lo. É a terceira maior armação em concreto do mundo e recebe cerca de 2,5 milhões de pessoas por ano, que, além da construção, também visitam a igreja e o museu que integram o complexo.

 

Relacionadas