sexta, 15 de janeiro de 2021

Geral
Compartilhar:

Confira a coluna do Professor Trindade deste domingo

Professor Trindade / 04 de fevereiro de 2018
Foto: Divulgação
Conversa sobre os pronomes relativos

Não se dá a devida atenção ao estudo dos pronomes relativos; aliás, ao estudo dos pronomes, em geral. As escolas cometem o pecado de centralizar o estudo na caracterização deles e terminologia, “passando por cima” do emprego, não só de natureza gramatical, como de estilo (palavra, atualmente fora de moda, a não ser no mundo da moda). De modo que vemos a excrescência do abuso do pronome seue as consequentes ambiguidades e feiura de estilo. Ou o emprego indiscriminado e absurdamente errado do onde, numa demonstração clara de pobreza vocabular.

Vamos conversar sobre os Relativos?

Primeiramente:

O que é um pronome relativo e qual a razão da denominação?

PRONOMES RELATIVOS são os que se referem a um termo anterior (substantivo), substituindo-o na oração seguinte; portanto, relativos a algo anterior.

Ex.: O homem saiu ferido a bala. O homem se chama Adroaldo.

O homem(antecedente) que saiu ferido a bala se chama Adroaldo.

Quais são os pronomes relativos?

Ao analisarmos o emprego de tais pronomes (o que faremos a seguir), o leitor irá conhecendo-os.

Emprego

Como relativo, o pronome QUE é substituído por “o qual”, “a qual”, “os quais”, “as quais”.

Ex.: Já li o livro que comprei. (que = o qual)

Há frases em que a palavra antecedente, repetida pelo pronome relativo, é representada pelos demonstrativos O, A, OS, AS.

Ex.: Ele sempre consegue o que deseja. (o = aquilo)

O relativo QUEM somente é usado em relação a pessoas e aparece precedido de preposição.

Ex.: O cantor de (preposição) quem lhe falei chegou.

O relativo CUJO (e variações) é, normalmente, empregado entre dois substantivos, estabelecendo, entre eles, uma RELAÇÃO DE POSSE.

Ex.: Comprei um terreno CUJA frente está murada.

ATENÇÃO: Após o pronome cujo (e variações) NÃO SE USA ARTIGO. Por isso, deve-se dizer: visitei a escola cujo diretor morreu; e não, “cujo o”.

O relativo ONDE somente se refere a lugar e equivale a em que.

Ex.: Conheci o lugar onde você nasceu. (ONDE = em que)

Quanto(s) e quanta(s) somente são pronomes relativos se estiverem precedidos dos indefinidos TUDO, TANTO(s), TANTA(s), TODO(s) e TODA(s).

Ex.: Ele sempre obteve tudoquanto quis.

ATENÇÃO: Na reunião de frases com pronome relativo é preciso MANTER a estrutura original da frase. Isso quer dizer que se o verbo ou nome exigir preposição, o pronome relativo estará acompanhado da preposição.

Exemplos de reuniões de frases através do pronome relativo:



  1. a) Visitei a casa. Você nasceu na casa.




Visitei a casa ONDE você nasceu. (Em que; na qual).



  1. b) Eu tenho o livro. Você gosta do livro.




Tenho o livro DE QUE você gosta.



  1. c) Nós visitamos a chácara. O dono da chácara é meu amigo.




Visitamos a chácara CUJO dono é meu amigo.



  1. d) A fábrica é ali. Os flagelados se abrigaram sob o teto da fábrica.




A fábrica sob CUJO teto os flagelados se abrigaram é ali.

FUNÇÕES SINTÁTICAS DOS PRONOMES RELATIVOS

Os pronomes relativos exercem várias funções sintáticas. Para reconhecê-las, basta substituir o pronome relativo pelo termo anterior.

Exemplos:

O homem [que chegou] chama-se João. (que= homem – sujeito: O homem chama-se João).

O livro [de que gostas] é este. (que= livro – objeto indireto: Gostas do livro). A casa em que moro é confortável (que=casa – adjunto adverbial: moro na casa).

Os pronomes relativos fazem as funções de:



  1. a) Sujeito: O homem que chegou chama-se João (que = sujeito).


  2. b) Objeto direto: O livro que comprei é bom (que = objeto direto).


  3. c) Objeto indireto: O livro de que gostas é este (que= objeto indireto).


  4. d) Complemento nominal: A doença de que tens medo é cruel (que= complemento nominal).


  5. e) Adjunto adnominal: O livro cujo dono esqueceu é este (cujo = adjunto adnominal).


  6. f) Adjunto adverbial: A casa onde moras é confortável (onde = adjunto adverbial).


  7. g) Predicativo: Não confio na pessoa que você é (que= predicativo).


  8. h) Agente da passiva: Foi presa a mulher por quem o marido foi morto (quem= agente da passiva).




Observação:

Cujo, onde e como têm função fixa.

Cujo (e flexões): adjunto adnominal.

Onde (adjunto adverbial de lugar).

Como (adjunto adverbial de modo).

Quando (adjunto adverbial de tempo).

Relacionadas