segunda, 14 de outubro de 2019
Concurso
Compartilhar:

Simulado especial traz questões de direito e português; confira

Redação / 31 de dezembro de 2017
Foto: Ilustração Correio
Direito do Trabalho

1. (CESPE – TRT – 21 Região). Acerca do direito do trabalho, julgue os itens a seguir:

Pelo princípio da continuidade da relação de emprego, os fatos ordinários são presumidos, em detrimento dos fatos extraordinários, que precisam ser reprovados. Assim, o ônus de provar o vinculo empregatício e o despedimento é do empregado, porque se trata de fatos constitutivos do seu direito.

(     ) CERTO                                (     ) ERRADO

2. (CESPE – TRT – 9 R). Uma das premissas do direito do trabalho é a busca da norma legal ou contratual pela melhoria das condições sociais do trabalhador, sob pena de nulidade.

(     ) CERTO                                (     . ) ERRADO

3. (CESPE - TRT – 9R). Quando houver omissão nas disposições da legislação trabalhista, nos contratos individuais ou nas convenções e acordos coletivos de trabalho, o juiz do trabalho pode julgar por precedente jurisprudencial, analogia ou por equidade, inclusive adotando o Direito Comum como fonte subsidiária.

(     ) CERTO                                (     ) ERRADO

4. (FCC – TRT – 7R). Acerca dos princípios que informam o Direito do Trabalho, pode-se afirmar que:

a)O empregador pode reduzir o salário de seus empregados, desde que 75 % deles concordem com a tal redução, independentemente de negociação com a entidade sindical da categoria.

b) A irredutibilidade do salário é um princípio absoluto.

c) É lícita a redução dos salários dos empregados da empresa, desde que disposta em Convenção ou Acordo Coletivo.

d) O empregador pode, livremente, em qualquer hipótese, reduzir o salário do empregado.

e) O empregador pode reduzir o salário do empregado, se este firmar por escrito sua concordância.

5. (FCC – TRT – 4R). Estão excluídos da proteção legal da Consolidação das Leis do Trabalho:

a) os empregados em serviços assistenciais

b) os militares

c) os professores

d) os bancários

e) os trabalhadores em domicilio

Direito Eleitoral

6. Para concorrer às eleições, o candidato deverá possuir domicílio eleitoral na respectiva circunscrição pelo prazo de, pelo menos, um ano antes de pleito e estar e estar com a filiação deferida pelo partido no mesmo prazo. Havendo fusão ou incorporação de partidos após o referido prazo de um ano antes do pleito, será considerada, para efeito de filiação partidária, a data

a) da homologação pelo Tribunal Superior Eleitoral da fusão ou incorporação.

b) da fusão ou incorporação.

c) do registro da fusão ou incorporação no Tribunal Superior Eleitoral.

d) de filiação do candidato ao partido de origem.

e) da filiação do candidato ao partido resultante da fusão ou incorporação.

7. A respeito da composição dos órgãos da Justiça Eleitoral, é correto afirmar que

a) compõem o Tribunal Superior Eleitoral, dentre outros, dois Juízes, escolhidos e nomeados pelo Presidente da República dentre os Ministros do Superior Tribuna Eleitoral Federal.

b) o Tribunal Superior Eleitoral elegerá o Corregedor Eleitoral dentre os Ministros do Supremo Tribunal Federal que o integram.

c) Compõem os Tribunais Regionais Eleitorais, dentre outros, dois Juízes escolhidos, mediante eleição e pelo voto secreto, dentre os desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado.

d) o Tribunal Regional Eleitoral elegerá seu Presidente dentre quaisquer de seus integrantes.

e) compõem os Tribunais Regionais Eleitorais, dentre outros, dois Juízes, escolhidos pelo Tribunal de Justiça do Estado, mediante eleição e pelo voto secreto, dentre os Membros do Ministério Público.

8. Dentre outras atribuições, compete aos Juízes Eleitorais

a) expedir títulos eleitorais e conceder transferência de eleitor.

b) constituir as Juntas Eleitorais e designar a respectiva sede e jurisdição.

c) dividir a respectiva circunscrição e Zonas Eleitorais.

d) processar e julgar os crimes cometidos por Juízes Eleitorais.

e) Processar e julgar o registro de candidatos às Assembleias Legislativas.

9. NÃO é causa de cancelamento e de exclusão de eleitor

a) a perda dos direitos políticos.

b) a pluralidade de inscrições.

c) deixar de votar, sem justificativa, em três eleições consecutivas.

d) a suspensão dos direitos políticos.

e) A condição de analfabeto, descoberta após o alistamento.

10. Obedecerá ao princípio da representação proporcional a eleição para

a) Prefeito Municipal.

b) as Câmaras Municipais.

c) o Senado Federal.

d) Governador do Estado.

e) Presidente da República.

PORTUGUÊS

Atenção: As questões de números 11 a 15 referem-se ao texto abaixo.

Fomos uma geração de bons meninos. E acreditem: em boa parte por causa dos heróis dos quadrinhos. Éramos viciados em gibis. Nosso ideal do bem e mesmo a prática do bem podem ser creditados ao Batman & Cia. tanto quanto ao medo do inferno, aos valores da família e aos ensinamentos da escola. Os heróis eram o exemplo máximo de bravura, doação pessoal e virtude. Gibis abasteciam de ética o vasto campo da fantasia infantil, sem cobrar pela lição. Não era só por exigência da família, da escola ou da religião que os meninos tinham de ser retos e bons; eles queriam ser retos e bons – como os heróis. Viviam o bem na imaginação, porque o bem era a condição do herói. A lei e a ordem eram a regra dentro da qual transitavam os heróis. Eles eram o lado certo que combatia o lado errado. Atualmente não sei. Parei de ler gibis, só pego um ou outro a seção nostalgia. Nos anos de 1970 e 80 ainda surgiram heróis interessantes, mas alguns parecem cheios de rancor, como o Wolverine, ou vítimas confusas sem noção de bem e mal, como o Hulk, ou exilados freudianos, como o belo Surfista Prateado, ou presas possíveis da vaidade, como o Homem-Aranha. Complicou-se a simplicidade do bem. Na televisão, os heróis urram, gritam, destroem, torturam, tão estridentes quanto os arqui-inimigos maléficos. Não são simples, e retos, e fortes, e afinados com seus dons, como os heróis clássicos; são complexos, e dramáticos, e ambíguos, como ficou o mundo.

(Fragmento de Ivan Angelo. Meninos e gibis. Certos homens. Porto Alegre: Arquipélago, 2011. p.147-9)

11. Ao tratar da leitura de gibis, o autor contrapõe

a) A complexidade das histórias antigas, ainda que o bem sempre triunfasse, ao maniqueísmo dos quadrinhos recentes, em que o que sobressai é a pura maldade.

b) A bondade dos meninos de seu tempo à ausência da prática da virtude no mundo atual, em função da ausência de heróis em que se espelhar.

c) A virtude como aspiração pessoal, despertada pelo exemplo dos heróis, ao dever de praticar o bem, imposto pelas instituições sociais.

d) Os heróis dos quadrinhos antigos, voltados para a prática do bem, aos personagens maléficos das histórias surgidas depois dos anos 1970 e 80.

e) O aprendizado que levava à prática do bem, proporcionado pelos quadrinhos, àquele sem nenhum efeito prático, propiciado pelas instituições sociais.

12. A conclusão expressa no último parágrafo do texto aponta para

a) a constatação da inexistência de heróis de qualquer tipo no mundo atual, tanto na ficção quanto na vida real.

b) o descompasso entre os heróis dos quadrinhos, mesmo os mais recentes, e aqueles que aparecem na televisão.

c) a impossibilidade de separação entre o bem e o mal, seja nas histórias em quadrinhos, seja na vida real.

d) os paralelos que podem ser estabelecidos entre os heróis de ontem e os de hoje, a despeito das diferenças que os separam.

e) a adequação entre a personalidade dos heróis e as características do tempo em que as histórias são criadas.

13. Fomos uma geração de bons meninos.

O verbo empregado nos mesmos tempo e modo que o grifado acima está em:

a) Nos anos de 1970 e 80 ainda surgiram heróis interessantes...

b) Os heróis eram o exemplo máximo de bravura, doação pessoal e virtude.

c) Atualmente não sei.

d) Gibis abasteciam de ética o vasto campo da fantasia infantil...

e) ... mas alguns parecem cheios de rancor...

14. Atentando-se para a sintaxe, é correto afirmar:

a) Em A lei e a ordem eram a regra, o segmento grifado é complemento verbal de eram.

b) Na frase Na televisão, os heróis urram, gritam, destroem, torturam, tão estridentes quanto os arqui-inimigos maléficos, o segmento grifado é complemento verbal dos verbos destroem e torturam.

c) Na frase Éramos viciados em gibis, estamos diante de um sujeito indeterminado.

d) Em Gibis abasteciam de ética o vasto campo da fantasia infantil, o segmento grifado exerce a função de objeto indireto.

e) Na frase Eles eram o lado certo que combatia o lado errado, o segmento grifado exerce a função de predicativo do sujeito.

15. O sentido do elemento grifado está expresso adequadamente entre parênteses e em negrito ao final da transcrição em:

a) Viviam o bem na imaginação, porque o bem era a condição do herói. (conquanto)

b) Não era só por exigência da família, da escola ou da religião... (inclusive)

c) Gibis abasteciam de ética o vasto campo da fantasia infantil... (proviam)

d) Parei de ler gibis, só pego um ou outro da seção nostalgia. (antiquário)

e) E acreditem: em boa parte por causa dos heróis dos quadrinhos. (à revelia)

GABARITO

1             ERRADO

2             CERTO

3             CERTO

4             C

5             B

6             D

7             C

8             A

9             E

10           B

11           C

12           E

13           A

14          D

15          C

Relacionadas