quinta, 25 de fevereiro de 2021

Geral
Compartilhar:

Cinco mil casos de hepatite viral são confirmados apenas em 2017, na Paraíba

Beto Pessoa / 27 de julho de 2017
Foto: Reprodução
A Paraíba já registrou mais de cinco mil casos de hepatite viral, segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Entre 2007 e 2017 foram 2.878 casos de Hepatite A, 1.235 de Hepatite B e 1.526 de Hepatite C, dados que reforçam a importância de discutir a prevenção e tratamento da doença, alertam especialistas em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, instituído neste 28 de julho.

O infectologista Alfredo Passalacqua explica que alguns sinais podem sinalizar a ação do vírus no organismo. “Os sintomas podem aparecer tanto na fase aguda, no caso da Hepatite A, como na fase crônica, no caso das Hepatites B e C. Febre, dor abdominal, mal-estar, dores no corpo e diarréia. O paciente também pode apresentar icterícia, o amarelamento nos olhos”, disse o médico do Hapvida. A Hepatite A é o tipo mais comum da doença, típico em regiões onde não chegam políticas públicas básicas, destaca o especialista. “É muito comum em países subdesenvolvidos porque está associada à falta de higienização, geralmente lugares com precárias condições de saneamento básico”, revela.

De acordo com o médico, a Hepatite A se dar por transmissão fecal-oral, principalmente pela ingestão de alimentos contaminados com dejetos fecais, seja pela manipulação inadequada ou contato com água contaminada. A Hepatite B é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST), ou seja, geralmente é passada de uma pessoa a outra através da relação sexual sem proteção. Ela ainda pode ser transmitida por transfusão sanguínea e também passar de mãe para filho durante o parto. Já a Hepatite C é puramente transfusional, explicou o infectologista, que destacou também que a doença é mais comum do que se imagina. A Hepatite A não tem um tratamento específico, são apenas cuidados clínicos e, caso o fígado perca sua função, é preciso transplante; a tipo B e C, se evoluir para crônica, existe tratamento com medicações antivirais.

Para prevenir a Hepatite A são indicadas medidas de higienização no trato com as comidas, por isso é importante lavar bem as mãos e os alimentos antes de ingeri-los, tomar cuidados onde se realiza as refeições e observar se o alimento é manipulado adequadamente. Como as Hepatites B e C são transmitidas principalmente por relação sexual e sangue contaminado, respectivamente, é necessário prestar atenção na higinenização de clínicas, consultórios odontológicos e alicates de manicure, além da relação sexual com proteção.

Sobre as mudanças

As hepatites são causadas por um vírus que ataca o fígado, de forma lenta e silenciosa, sem sintomas físicos para o portador. O vírus, quase sempre, destrói o fígado da pessoa contaminada, podendo ocasionar cirrose e câncer hepático. A evolução do dano hepático é diferente para cada indivíduo, podendo levar até 20 anos para a manifestação da doença.

Relacionadas