segunda, 25 de janeiro de 2021

Geral
Compartilhar:

Cerca de 1,5 mil carteiros da PB estão em greve por tempo indeterminado

Fábio Cardoso Com Agência / 27 de abril de 2017
Foto: ARQUIVO
Os trabalhadores dos Correios e Telégrafos entraram em greve por tempo indeterminado nesta quarta-feira (26) desde às 22h. As ameaças de privatização e demissões, o fechamento de agências e o "desmonte fiscal" da empresa, com diminuição do lucro devido a repasses ao governo e patrocínios, são os principais motivos para a mobilização, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares.

Na Paraíba, vão cruzar os braços cerca de 1,5 mil carteiros, prejudicando a entrega da cartas comuns, cartas comerciais e mercadorias. Todos os Centros de Distribuição deverão estar fechados hoje, segundo informou um carteiro que pediu para o nome não ser revelado. Ele participou da assembleia da categoria realizada ontem à noite em João Pessoa.

Conforme esse carteiro, as condições de trabalho é bastante difícil, com um clima de terror entre os funcionários, com medo de perder o emprego. De acordo com ele, a privatização dos Correios é dita como certa o que, na opinião da categoria, deverá provocar ainda mais demissões e perdas de benefícios. O aumento do custo do plano de saúde tem sido uma mostra da política de cortes na empresa.

No ano passado os carteiros realizaram uma greve que teve três dias de duração. Este ano, a categoria parou por um dia. O movimento que começou ontem, segundo a maioria, é por tempo indeterminado, o que irá atrasar ainda mais a entrega de cartas e mercadorias. Atualmente, uma carta comum leva 8 dias para ser entregue, enquanto que uma registrada chega em 5 dias. Mercadorias enviadas via Sedex leva de 3 a 4 dias.

Relacionadas