quinta, 26 de novembro de 2020

Brasil
Compartilhar:

Dilma reativa conselho para liberar R$ 60 bilhões em crédito e tentar sair da crise

De Assessoria / 28 de janeiro de 2016
Foto: Arquivo
O governo deve liberar cerca de R$ 60 bilhões em linhas de crédito do Banco do Brasil, BNDES e Caixa (incluindo recursos do FGTS) no esforço para a retomada dos investimentos e do crescimento da economia.

O anúncio deve ser feito hoje pelo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, na reunião de reabertura do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão.

O governo anunciará também a ampliação de linhas do BNDES para financiar o “pré-embarque” dos exportadores, que são linhas que apoiam a produção de bens e serviços destinados à exportação.

A presidente Dilma Rousseff quer que o comércio exterior seja um dos caminhos apontados para reativar a economia.

Embora a intenção da equipe econômica não seja anunciar um pacote de medidas, o reforço no crédito será o principal resultado prático da reunião, que é vista como um marco importante para sinalizar os principais compromissos do governo e a estratégia de recuperação econômica.

A repactuação do diálogo será o principal objetivo da retomada das atividades do Conselhão. Durante o encontro, além de Dilma e de ministros, vão discursar representantes dos empresários, dos trabalhadores e da sociedade civil.

O crédito é peça fundamental na política que será adotada.

A equipe econômica avalia que há demanda para os empréstimos, apesar do ceticismo de economistas do mercado financeiro.

Esse incremento no caixa dos bancos públicos e do FGTS tem como origem o pagamento, pelo governo, de R$ 72,4 bilhões das pedaladas no fim de 2015.

As pedaladas eram dívidas com os bancos públicos e com o FGTS represadas pelo Tesouro para melhorar artificialmente as contas do governo, que o Tribunal de Contas da União (TCU) mandou quitar.

 

Relacionadas