segunda, 20 de novembro de 2017
Brasil
Compartilhar:

Clube doa fitas a instituições que usam artesanato como terapia

Redação com assessoria / 29 de outubro de 2015
Foto: Divulgação
Cada dia mais pessoas usam o artesanato como terapia. Seja para superar uma separação, para suprir a falta dos filhos que se casam, ocupar o  tempo após a aposentadoria ou para lidar com um problema de saúde, fazer um trabalho manual melhora a autoestima, transforma e realiza. O  Clube de Artesanato sabe disso e há mais de vinte anos  incentiva e agrega a maior comunidade online de artesanato e artes manuais do país.

Agora, por exemplo, como parte do programa Clube Ativista Social, que prevê a doação de fitas têxteis em grandes quantidades para prefeituras, ONGs, escolas, igrejas, hospitais e outras instituições que desenvolvem atividades assistenciais,  o Clube de Artesanato acaba de doar 508 quilos (23 caixas) de fitas ao VER - Voluntariado Emílio Ribas,  que fica dentro do Hospital Emílio Ribas, referência em doenças infectocontagiosas.

As instituições paraibanas que se interessarem em receber doações do Clube do Artesanato também podem solicitar os materiais. Para isso, basta participar do Clube Ativista Social e solicitar uma doação é necessário ter CNPJ e se cadastrar em http://clubedeartesanato.com.br/iniciativas-entidades-comunitarias. O pedido será avaliado e a quantidade de fitas será concedida de acordo com o porte da instituição.

A doação ao VER

Com a doação, o VER, braço de responsabilidade social do hospital, composto por mais de 200 voluntários, tem como objetivo desenvolver nos próximos 12 meses, junto aos voluntários do Programa Artesanato, trabalhos que visam dar sustentabilidade aos 14 programas de humanização hospitalar do VER e despertar o interesse dos pacientes, mães e acompanhantes que são acolhidos pelos programas.

Além da doação das fitas, o VER  irá contar com o apoio da professora do Clube de Artesanato Eunice Trindade, que há mais de 30 anos desenvolve trabalhos manuais. Ela  vai ensinar a usar as diversas fitas em artigos de decoração, peças de vestuário e acessórios e capacitar de forma prática e presencial os 20 voluntários que atuam diretamente com artesanato. Posteriormente, estes trabalhos serão expostos nos bazares organizados pelo VER.

“Desde 2005, o artesanato está entre as atividades de humanização que ajudam na diminuição da ociosidade hospitalar e na melhora da qualidade de vida  dos pacientes que ficam geralmente longos períodos internados e também dos seus acompanhantes. "Essa é a primeira vez que desenvolveremos trabalhos manuais com fitas e estamos empenhados por bons resultados”, conta Helena Garbini. Só em 2014, 18 mil pacientes participaram dos 14 programas da instituição. Além de artesanato, são oferecidos aos pacientes massagem terapêutica, cuidados com a beleza,  entre outros.

Para o Clube de Artesanato, a parceria com o VER significa o reconhecimento do trabalho manual não só como fonte de renda alternativa mas, principalmente, como um bem para a saúde emocional, autoestima e autorrealização.

“Este ano, contando a doação para o Graac e para o VER, além de outras entidades, escolas e ongs já beneficiadas, doamos mais de 6 toneladas de fitas. Com essa iniciativa, esperamos colaborar  com o público diretamente atendido por essas instituições, que passam a ter mais insumos para criarem seus produtos artesanais, e  também sensibilizar a sociedade para outras ações do gênero”, diz Lucas Ferreira, gestor de Marketing da PH FIT  e do Clube de Artesanato.

 

Relacionadas