sábado, 20 de julho de 2019
Geral
Compartilhar:

Botafogo enfrenta Fortaleza na grande final da Copa do Nordeste

Gabriel Botto / 29 de maio de 2019
Foto: Nalva Figueiredo
Nesta quarta-feira (29) é dia de decisão no Estádio Almeidão. Botafogo-PB e Fortaleza jogam a final da Copa do Nordeste, em busca de um título inédito para ambas as equipes. A partida acontece às 20h e com a promessa de casa cheia no palco da finalíssima. Para ser campeão, o Belo precisa reverter o placar construído pelo Leão, no Castelão, ou seja, vencer por um placar de, no mínimo dois gols de diferença. Em caso de vitória por apenas um gol de diferença, a decisão vai para os pênaltis. Qualquer outro resultado garante o título para o Tricolor do Pici.

Para o jogo, o treinador do Belo, Evaristo Piza, falou sobre a expectativa de disputar o título mais importante da região, destacando o mérito da equipe botafoguense em trazer a final da competição para João Pessoa, mesmo jogando contra equipes de Série A e B na trajetória até a decisão.

“A expectativa é muito grande, não só a nossa, mas dos atletas, diretoria, torcedores. Então, desfrutar desse momento, que foi adquirido por mérito, por desempenho, é muito bom. Como falei na partida de ida, não podíamos desperdiçar essa vantagem de jogar a decisão em casa, e o resultado lá foi normal, com uma vitória simples aqui levamos a partida para os pênaltis, então a expectativa é muito boa”, disse Evaristo Piza.

Adversários fora das quatro linhas, Evaristo Piza e Rogério Ceni se enfrentarão pela terceira vez na competição. Até aqui, uma vitória para cada lado, 1 a 0 para o Belo, em João Pessoa, e 1 a 0 para o Leão no primeiro jogo da final, em Fortaleza. Sobre as equipes que entrarão em campo na noite de hoje, Piza disse que não há o que esconder, nem por parte dos donos da casa, nem por parte dos visitantes, pois ambos se conhecem.

“O Rogério (Ceni) já sabe meu time e eu já sei o dele. Não há o que esconder. Na coletiva que dei domingo, eu disse que ele jogou só com dois jogadores e descansou nove; na coletiva dele, ele disse que joguei com três jogadores e descansei oito, então, um sabe o que o outro pensa, é o terceiro jogo entre nós”, frisou Evaristo Piza.

Sem favoritismo. O treinador do Fortaleza, Rogério Ceni, falou, durante entrevista coletiva, sobre a partida desta noite, diante do Botafogo-PB. O ex-goleiro destacou que a proposta de jogo dos donos da casa será diferente da executada na Arena Castelão, afirmando que será uma partida difícil no Estádio Almeidão.

“Será um jogo duríssimo, diferente do que foi aqui em Fortaleza, onde nós só atacamos e o Botafogo-PB fez um ou dois ataques perigosos. Acho que será uma partida onde as ações serão bem mais divididas entre as equipes, nós já jogamos contra eles, é uma equipe que conhece mais o gramado, acho que vai ser um jogo bem difícil, bem complicado”, frisou Rogério Ceni.

De acordo com Ceni, não existe favorito nesta final. O treinador do Fortaleza afirmou que, apesar do Leão do Pici ter vencido o jogo de ida, construiu uma vantagem muito pequena, o que deixa a partida em aberto. Ele completou, afirmando que deve mandar a campo o que tem de melhor à disposição.

“É um jogo sem favoritismo nenhum, a vantagem é muito pequena. Uma partida completamente em aberto. Nós vamos tentar fazer o nosso melhor, dentro das peças que temos à disposição, para levarmos o título para Fortaleza”, disse Ceni.

Tecnologia. A partida de hoje contará com o auxílio do sistema de árbitro de vídeo. Será a primeira vez que o VAR será utilizado em um estádio da Paraíba.

Bota deve ter o retorno de Marcos Aurélio



Confiante após mais uma vitória na Série C do Campeonato Brasileiro, que deixou a equipe na terceira colocação do Grupo A do torneio, Evaristo Piza tem mais motivos para sorrir. O técnico deve contar com os retornos do meia Marcos Aurélio e o do volante Rogério, que desfalcaram o Belo nos primeiros 90 minutos da decisão da Copa do Nordeste.

Em processo de recuperação de uma contusão na coxa direita, que o tirou do primeiro jogo da decisão e de cinco partidas da Terceirona, Marcos Aurélio vem treinando normalmente nos últimos dias e deve começar a partida. Piza comemorou o retorno do seu camisa 10.

“Acho que é um momento importante ter o Marcos Aurélio 100%. A representatividade dele em campo, como líder, junto com outros jogadores é fundamental em uma decisão do porte da final da Copa do Nordeste”, falou.

Outra novidade será o volante Rogério. Peça importante no setor de marcação do Alvinegro da Estrela Vermelha, o atleta cumpriu suspensão automática na partida de ida e tem volta assegurada entre os 11 titulares para a partida de logo mais.

A única dúvida é o meia Juninho. O atleta deixou o jogo contra o Imperatriz-MA, no último domingo, sentindo dores na coxa, e ontem ficou apenas fazendo fisioterapia no Centro de Treinamento da Maravilha do Contorno.

O Fortaleza finalizou ontem a preparação para o jogão de logo mais. O técnico Rogério terá um desfalque de peso. Edinho está fora do segundo e decisivo jogo da final da Copa do Nordeste. O atacante lesionou o músculo adutor da coxa esquerda no último domingo, na partida contra o Vasco válida pela 6ª rodada da Série A, e não se recuperou em tempo hábil para o confronto.

Sem Edinho, Ceni pode colocar Romarinho para jogar aberto pela direita, com Marcinho ou Osvaldo pela esquerda. Outra opção é atuar com Marcinho e Osvaldo revezando pelos dois lados do campo. Quem retorna ao time é o atacante Júnior Santos, artilheiro da Copa do Nordeste, com oito gols.

Belo e Leão tentam igualar os grandes rivais



Um fato curioso da final da Copa do Nordeste deste ano, é que os rivais dos finalistas já conquistaram o título. Em 2013, o Campinense levantou a taça vencendo os dois jogos da final contra o ASA de Arapiraca-AL. O time de Campina ainda voltou a disputar outra decisão três anos depois, mas foi superado pelo Sport. Já em 2015, foi a vez do Ceará conquistar o título regional, vencendo o Bahia na decisão.

Para o treinador do Botafogo-PB, o fato dos rivais já terem conquistado o título potencializa a vontade dos torcedores de sentirem a mesma sensação. Porém, Piza destacou que, mais importante que a rivalidade, é realçar a campanha feita pelo clube paraibano, que já é a melhor da equipe na história da competição regional.

Piza frisou que a trajetória do Belo na competição já é louvável, só por ter batido times de patamares superiores, como o próprio Fortaleza, além de Vitória, CSA, Bahia, Ceará, Náutico, Santa Cruz e CRB, que até pouco tempo atrás, nem o mais otimista torcedor, acreditaria que o Alvinegro da Estrela Vermelha fosse capaz de superar.

“Potencializa sim, pois é essa questão da rivalidade. Será muito prazeroso para nosso torcedor, comemorar um título que nosso rival já tem. Porém, maior que isso, é fazer valer nossa campanha, a importância de marcar o nome na história do Botafogo-PB, que, mesmo em um grupo difícil, com equipes de Série A, nossa equipe trouxe uma final para nossa casa”, frisou o treinador do Belo.

Relacionadas