domingo, 25 de outubro de 2020

Geral
Compartilhar:

Acesso ao aeroporto vira pista de ginástica

Bárbara Wanderley / 09 de outubro de 2018
Foto: Rafael Passos
Com o avanço das obras de duplicação da Avenida Marechal Rondon, que dá acesso ao aeroporto Castro Pinto, em Bayeux, na Grande João Pessoa, uma situação inusitada vem causando reclamações. Os moradores da região começaram a utilizar a parte da via asfaltada para a prática de exercícios como caminhada, corrida e ciclismo, principalmente no final da tarde. A atividade acaba atrapalhando o trânsito e oferece risco de acidentes.

Funcionário de uma locadora de veículos que fica na região, Jeimisson Maia afirmou que as pessoas costumam ocupar uma faixa inteira das duas existentes na via. “Tem vez que ainda acham pouco e ainda invadem um pouquinho da outra faixa também”, contou.

Ele disse ainda que faz constantemente o trajeto entre a loja na qual trabalha e o aeroporto, transportando clientes, e que a aglomeração de pessoas atrapalha.

“Tem que ir mais devagar, atrasa um pouco”, disse. Ele relatou ainda que ninguém faz menção de se afastar quando um carro se aproxima.

Jeimisson relatou que algumas pessoas se exercitam também à noite e, embora a quantidade de seja menor, ele considera a atividade ainda mais perigosa, porque a iluminação é insuficiente e algum motorista pode acabar não vendo que tem um pedestre na rua. “É muito escuro, principalmente na área que tem árvores, pode acabar acontecendo uma tragédia”.

Parte da obra também prevê uma calçada com meio-fio alto, que Jeimisson acredita ser destinada à prática de exercícios. “Mas acho que o pessoal vai continuar andando na rua, porque é muito estreita”, comentou.

Gedean Rocha, que também trabalha na área, contou que não se incomoda com os pedestres, pois, quando a avenida começa a ficar cheia, a loja na qual trabalha já está encerrando as atividades. Ele admitiu, entretanto, que é muita gente na rua.

Sem reclamações

A assessoria de comunicação da Infraero, que administra o aeroporto, informou que até o momento não recebeu nenhuma reclamação a esse respeito e que o ordenamento do trânsito na avenida é de responsabilidade da Prefeitura de Bayeux. O diretor do Departamento Municipal de Trânsito de Bayeux, Filemon Sena, não foi encontrado para comentar o caso.

Relacionadas