terça, 13 de abril de 2021

Esportes
Compartilhar:

Tripulação de paraibanos é campeã brasileira de Vela Oceânica

Raniery Soares / 18 de outubro de 2017
Foto: Reprodução
Terra onde o sol nasce primeiro, a Paraíba também é privilegiada por causa dos bons ventos, tão essenciais para a prática de esportes náuticos movidos a vela. Durante a última semana, na praia do Jacaré, em Cabedelo, dez barcos de estados como Bahia, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte estiveram disputando a quinta edição do Campeonato Brasileiro de Veleiros Multicascos de Oceano.

O veleiro Aventureiro 3, do pernambucano Hans Hutzler, foi o grande vencedor da etapa, com grandes performances nas três regatas da competição, o que lhe consagrou como bicampeão brasileiro de Veleiros Multicascos de Oceano. A tripulação vitoriosa também teve a presença da sua esposa, Karina, o filho Felipe (de apenas cinco anos), Walter Neukranz e Fábio Gomes, amigos que velejam juntos há 20 anos e dois amantes da modalidade: os empresários Roberto Cavalcanti e Roberto Cavalcanti Filho, tio e primo do capitão, respectivamente.

A comemoração pelo título é mais que especial, já que na verdade, uma parte da tripulação obteve o brasileiro pela segunda vez e a outra parte, agora coleciona no hall de conquistas um triunfo nacional, maior símbolo para um atleta em qualquer modalidade. “Na Paraíba, nós temos uma condição de mar e vento espetacular. Os ventos aqui são bem mais favoráveis nessa época do ano e quando realizamos uma reunião de comandantes no último Campeonato Brasileiro, por unanimidade decidimos que a Paraíba seria sede. O nosso diferencial sempre é assunto entre os competidores em todos os eventos que participamos”, afirmou o comodoro do Iate Clube da Paraíba, Luiz Meireles. Disputada em três regatas, a competição envolvia catamarans (barcos com dois cascos) e trimarans (barcos com três cascos). Essa ‘mistura’ só é possível graças a um sistema de correção do tempo de regata importado da Inglaterra: um rating batizado de Mocra.

Na primeira, o Aventureiro três ficou no lugar mais alto do pódio, com uma vantagem de 5m51s à frente do vice-líder, o paraibano Aloha. Logo no desafio inicial, cada competidor precisava seguir o balizamento do Porto de Cabedelo e retornar à praia do Jacaré, em um cenário de correnteza contrária. A chegada era em frente ao pier do Iate Clube da Paraíba. No dia seguinte, o percurso era maior e exigia mais técnica por parte da tripulação. A largada foi dada no rio Paraíba e as embarcações precisavam ir até uma boia fixada em mar aberto, na altura da praia de Camboinha, onde retornariam. Manobras perfeitas de troca de vela e fugas da correnteza de vazante do rio fizeram com que o Aventureiro 3 conquistasse um novo triunfo, ficando novamente com a primeira colocação. A terceira e última regata também contava com uma boia em mar aberto, com a largada em frente ao Iate Clube.

Enquanto o Aloha e o pernambucano Patoruzú brigavam lado a lado pela liderança no tempo real, o Aventureiro 3 mais uma vez ficou em primeiro lugar, no tempo corrigido. O evento foi realizado pelo Iate Clube da Paraíba, com a chancela da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano (ABVO) e da Confederação Brasileira de Vela (CBVela), que é a verdadeira entidade representativa do esporte no país. Próximos desafios. Segundo Luizito, os campeonatos estaduais de Hobie Cat e de Vela Oceânica estão a todo vapor. Até o fim do ano, ainda acontecerão a Regata do Comodoro e a tradicional Regata René Ribeiro, que reúne competidores de todo o Nordeste.

Relacionadas