quarta, 26 de junho de 2019
Esportes
Compartilhar:

Técnico campeão pelo JP Espectros comandará Seleção Brasileira

Gabriel Botto / 19 de maio de 2019
Foto: Divulgação
Do João Pessoa Espectros para o mundo. O paraibano Brian Guzman foi confirmado como treinador da Seleção Brasileira de Futebol Americano e já almeja a Copa do Mundo da modalidade, que acontece em 2023, na Austrália. Acumulando um vasto currículo no exterior, Guzman vai herdar o cargo deixado pelo coach Gabriel Mendes, para quem exercia a função de coordenador ofensivo na seleção.

Sem oba-oba, Brian disse que aceitou o convite prontamente, mas que o encara muito mais como uma responsabilidade, principalmente por compor a comissão técnica do Brasil desde 2013, inclusive participando da última Copa do Mundo e participando de todas as convocações no período.

“Eu participo da comissão técnica da Seleção Brasileira desde 2013, como coordenador ofensivo, responsável por treinar o ataque do time, e eu pude acompanhar a gestão dos dois últimos treinadores, ter participado do mundial, de todas as convocações”, comentou o paraibano.

Brian destacou que vai dar continuidade ao trabalho feito por Gabriel Mendes, que deixou o comando técnico da Seleção Brasileira e se aposentou. Por ter participado de várias convocações e também de competições importantes, Guzman vai exercer na seleção, o que aprendeu por onde passou, em especial no México, país em que trabalha atualmente.

“Para mim, assumir a liderança do projeto nesse momento, é uma responsabilidade, não só para dar continuidade ao trabalho do coach Gabriel Mendes fez, sobretudo no modo como a gente avalia os jogadores, como também sobre trazer ideias novas, que foi a principal razão para aceitar o convite, que foi a oportunidade de trazer o que aprendi aqui no México e aplicar na seleção brasileira as boas práticas que vi por aqui”, disse Brian Guzman.

Estava lá

Como coordenador ofensivo, Brian participou de um momento marcante para o futebol americano do Brasil. Em 2015, o time participou pela primeira vez de um Campeonato Mundial. A equipe não conseguiu brigar pelo título, mas saiu da competição com uma vitória diante da Coreia do Sul por 28 a 00.

Profissional traça novos desafios para a Seleção



O paraibano já traça alguns desafios à frente da Seleção Brasileira de Futebol Americano. Dentre eles, o que mais chama a atenção do treinador é o fato de procurar adversários com um nível maior que o do Brasil para os eventos preparatórios, que já pretende dar início no mês de dezembro.

“O primeiro desafio é conseguir um evento para a Seleção e estamos trabalhando nisso. O ideal era que conseguíssemos trazer um evento para o mês de dezembro e que a gente conseguisse começar a base de uma estrutura para que a seleção participe de eventos anuais ou dentro ou fora do país. O próximo campeonato à vista é a Copa do Mundo em 2023, mas óbvio que existe o interesse e a busca por outros eventos, com um nível de competição que a Seleção Brasileira ainda não viu. Então, a gente está buscando um adversário de fora da América do Sul, para propor um desafio mais complicado para seleção, e só aí vamos começar a medir nosso próprio nível”, completou o paraibano.

Atualmente no México, onde é treinador de categorias universitárias, Brian Guzman falou sobre importar para o Brasil o que viu de melhor em todos os países que já passou. Exclusivamente sobre o México, o treinador disse que, por se tratarem de realidades sociais parecidas, o seu mais recente trabalho o ajudará bastante à frente da Seleção Brasileira.

“Eu acho que vai ajudar bastante. O Futebol Americano aqui no México tem mais de cem anos e o mais próximo que existe da estrutura dos Estados Unidos, os treinadores todos são profissionais e os recursos investidos aqui são muito bons, então é essa experiência que quero levar para a Seleção Brasileira. É uma experiência que ajuda muito, pois as realidades de México e Brasil são muito parecidas, principalmente no campo social”, explicou o treinador.

No comando do João Pessoa Espectros, Brian obteve várias conquistas no âmbito regional e ajudou a equipe a conquistar seu único título brasileiro. Desde que ele saiu, os Fantasmas chegaram a outras finais, mas não venceram.

Bons momentos



Brian se orgulha dos momentos que comandou os Espectros e também de ver João Pessoa como referência no esporte.

Brian se lembrou dos momentos que jogou e também comandou o João Pessoa Espectros. Ele comentou que fica orgulhoso em saber que a Capital paraibana se tornou referência no esporte a nível nacional. Ele também disse que não esqueceu o lado torcedor, que sempre acompanha os Espectros no BFA e que sempre se orgulha dos resultados apresentados pela equipe.

“Eu treinei o Espectros em dois momentos diferentes, em 2011 e 2012 e depois voltei em 2015, quando fomos campeões brasileiros, o que me orgulha bastante. Eu sou de João Pessoa, joguei nos Espectros, então minha carreira começou aí e tem me levado a lugares muito interessantes no mundo todo, algo que nunca imaginava que fosse acontecer, tudo isso fruto do que construímos em João Pessoa, nos Espectros. Fico muito feliz em ter deixado algo, e em saber que a cidade é referência no nosso esporte, que João Pessoa é sinônimo de excelência quando o assunto é o futebol americano. Acompanho a temporada e sofro igualmente aos torcedores, mas sempre termino o ano com muito orgulho deles”, enfatizou o paraibano.

De olho. Brian comentou que a distância não o impedirá de acompanhar os jogos do Campeonato Brasileiro de Futebol Americano (Liga BFA), pois as partidas são, obrigatoriamente, postadas em plataformas de vídeo na internet.

“O bom da BFA é que, por regra, todos os jogos têm que ser postados na internet. Então depois das partidas eu posso ver e analisar todos os jogos. Óbvio que, como estamos levando a estrutura deixada pelo coach Gabriel, existem pessoas espalhadas pelo Brasil fazendo esse tipo de observação e isso vai ajudar bastante a chegar em dezembro já com uma boa idéia dos jogadores que queremos ver nos playoffs”, destacou Brian Guzman.

Desde 2016

Brian trabalha na Universidad de las Americas de Puebla (UDLAP), que disputa a Liga Universitária do México.

Relacionadas