quarta, 17 de outubro de 2018
Esportes
Compartilhar:

Paraibano chega a metade da 1ª fase com disputas acirradas

Amauri Aquino / 30 de janeiro de 2018
Foto: RAFAEL PASSOS
Em um ano de uma pré-temporada atípica. Isto porque, diferentemente de outras épocas onde a preparação para o Estadual sempre se esbarrava no calendário apertado do futebol brasileiro, em 2018 tem sido diferente. Praticamente todos os clubes tiveram, ao menos, um mês de preparação para o Campeonato Paraibano, e essa ‘feliz’ realidade fez com que os times alguns times melhorassem ou mantiveram o retrospecto.

É nesse cenário que o Correio da Paraíba traz um balanço do 1º Turno do Campeonato Paraibano até aqui. Sorte, sucesso e competência tiveram os três maiores clubes, Botafogo, Campinense e Treze. Os maiorais de Campina Grande lideram os grupos A e B, respectivamente.

Dos dois, a Raposa foi a que fez o menor investimento e tem alcançado até aqui um desempenho surpreendente com um aproveitamento 100% melhor se compararmos com o do ano passado. Até a derrota para o arquirrival no último domingo, rubro-negro da Bela Vista estava invicto na competição. Já o Galo resolveu apostar num cara já conhecida do torcedor, Oliveira Canindé, que mesmo não sendo unanimidade tem mantido uma constância no limitado elenco alvinegro. Conquistou a vaga para a fase de grupos da Copa do Nordeste, mas perde já perdeu na estreia, em casa, contra o CRB. Joga o ano na próxima quarta-feira, diante do Figueirense, pela Copa do Brasil.

Já o Botafogo , no paraibano ainda não perdeu, e só não lidera após ter empatado diante do CSP, na 2ª rodada. Leston tem em mãos um time altamente competitivo para a realidade do futebol local. A pedra no calo é saber se o time vai se manter na ascendência - no últimos quatro jogos, o Belo venceu três.

Duas equipes que tiveram resultado similar ao ano passado, Serrano e Atlético permanece firmes na disputa por uma vaga na 2ª fase da competição - a pré-semifinal. O Lobo da Serra tem um grupo com a média de idade baixa, e tem no banco um dos trunfos para se manter firme na disputa, o técnico Suélio Lacerda.

Já o Trovão, a equipe ainda não deu a liga almejada pelo treinador Índio Ferreira. Já são três derrotas, a mais dolorosa no clássico contra o Sousa na 3ª rodada. Mas mesmo com essa inconstância, o Alviceleste do Sertão promete dar trabalho na fase final.

A grata surpresa do certame 2018 até aqui está mesmo em Patos. O Nacional, voltou a disputa da primeira divisão, tem a melhor sequência , hoje, dentre os 10 participantes. A equipe comandada pelo competente Marcos Nascimento venceu os últimos três jogos, duas delas fora de casa e, ainda conta com a boa fase do artilheiro Lucio Curió, que já chegou ao gol adversário em outras três oportunidades.

O mesmo sucesso não se pode falar da Desportiva Guarabira. Com história similar ao Naça, o time do Brejo é o último colocado do grupo A, e mesmo ainda com quatro pontos apenas, o Azulão tem a ‘sorte’ de estar no grupo mais equilibrado até o momento. O primeiro comandante, Wassil Mendes perdeu o cargo na goleada sofrida para o Botafogo, em casa, por 4 a 1. Gerson Júnior assumiu a equipe que se reabilitou com um empate fora de casa contra o Sousa, no Marizão. Luciano Silva, novo técnico, tem a difícil missão de manter o time nos eixos.

Da mesma forma estão CSP e Sousa, ambos na 4ª posição nos seus grupos. O Tigre ganhou um fôlego a mais, na vitória sobre o Auto Esporte, domingo passado. Já o Dinossauro a grande mudança foi no banco de reservas. A chegada do iluminado Jazon Vieira, no lugar de Cleibson Ferreira, deu um novo ânimo ao time que ainda promete brigar por uma vaga.

No fundo do poço, até aqui, está o Auto Esporte. A equipe perdeu todas as partidas que disputou até aqui. Já mudou de treinador, saiu Maia, chegou Ramiro Souza. E se levarmos em consideração o flertes dado pelo Macaco Autino nas últimas temporadas, o time do Mangabeirão está no caminho certo para retornar a 2ª divisão.

Relacionadas