terça, 12 de dezembro de 2017
Lutas
Compartilhar:

Gêmeos paraibanos sobem ao pódio da luta nos Jogos Escolares da Juventude

Do COB / 15 de setembro de 2017
Foto: Washington Alves/Exemplus/COB
Depois de vencer o Campeonato Paraibano nos pesos médio e pesado da luta olímpica e garantir vaga na etapa nacional dos Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017, os irmãos gêmeos Lincon e Luan Silva enfrentaram dificuldade para conseguir chegar à capital paranaense. Visitaram canais de televisão, venderam rifas e contaram com a ajuda dos pais, amigos e professores para realizar o sonho de viajar até Curitiba. Na quinta-feira, toda a angústia foi deixada de lado e os meninos de 14 anos conquistaram ouro e bronze em suas respectivas categorias.

“Nosso pai é pedreiro e foi demitido pouco depois da nossa conquista no estadual. A mãe é feirante e não ganha muito. A angústia só não foi maior porque contamos com a ajuda de amigos, pais e professores para arcar com as passagens. Na semana que a gente ia apresentar o plano de voo a passagem custava R$ 450. Esperamos uma resposta que não veio e tivemos que comprar em cima da hora, ao custo de R$ 1.300 cada. Compramos as passagens no cartão da nossa professora Remidia Fonseca, mas vamos reembolsá-la”, disse Lincon.

Gêmeos não idênticos, Lincon e Luan repetiram os resultados do ano passado. Luan conquistou o bicampeonato dos Jogos Escolares, na categoria médio, ao derrotar o carioca Pedro Silva por 7 x 1 na final. Bronze em 2016, Lincon venceu por encostamento o alagoano Elton Santos na disputa pela medalha de bronze da categoria pesado.

Eles ainda receberam as medalhas das mãos da Embaixadora dos Jogos Escolares, a vice-campeã mundial de luta olímpica, Aline Silva, que acompanhou todas as finais in loco.

“Estou vivendo intensamente esse momento. O brilho no olhar da garotada diz tudo. Eles me perguntam se eu fico nervosa, se eu fico triste. Claro que eu fico, somos todos humanos. Estão sempre curiosos, querem saber de tudo. A melhor coisa que já aconteceu para a luta olímpica no Brasil foi a inclusão do esporte nos Jogos Escolares. Para você ter uma ideia a seletiva de São Paulo do ano passado contou com 50 atletas e desse ano foram 150, um crescimento impressionante. Estados como Alagoas e Rio Grande do Norte, que não tinham histórico no esporte, agora trazem equipes competitiva, de qualidade. O esporte está crescendo rapidamente”, disse Aline, entre uma luta e outra na competição realizada no ginásio da UniBrasil.

Relacionadas