terça, 19 de janeiro de 2021

Esportes
Compartilhar:

Jogadores do Auto paralisam por atraso nos salários, mas diretoria faz reunião e treinos voltam

Franco Ferreira / 14 de março de 2017
Foto: Rafael Passos
Como tem acontecido nos últimos anos, os jogadores do Auto Esporte ficaram sem treinar dois dias, sexta-feira e sábado, fazendo greve por atraso de salários. Mas, o elenco do Auto Esporte voltou às atividades ontem com treinos no Colossso Alvirrubro, nos dois expedientes. Apenas o zagueiro Moisés, o atacante Wiliam e o volante Léo Lima não participaram das atividades comandadas pelo treinador Severino Maia.

Atendendo uma solicitação da comissão técnica, os jogadores mais experientes como o goleiro Danilo, o zagueiro Fábio Bilica e o meia Gil Bala, resolveram continuar os treinamentos dando aos preparativos visando os jogos contra o Campinense, amanhã á noite e diante do Botafogo, no domingo à tarde.

O meia Gil Bala preferiu não gravar entrevista, mas afirmou que tudo está superado e que a meta é continuar os treinos. O zagueiro Fábio Bilica segue a mesma linha do companheiro. O gerente de futebol, Beto, afirmou que o foto é trabalhar e não perder o foco neste momento que, o Auto Esporte busca a classificação.

O zagueiro Moisés disse se sentir punido pela diretoria, pois todos os jogadores participaram dos dois dias de paralisação e só ele foi afastado do grupo. Moisés alegando ser orientado por seu advogado só deixar o clube depois do acerto.

Outro que está afastado do grupo é o atacante Wiliam. Mas, ele garante ter pedido para deixar o clube antes da greve e que agora espera o acerto financeiro. O volante Léo Lima não compareceu para treinar, mas a comissão não esclareceu o motivo da ausência.

Nos últimos três anos, este problema de greve tem prejudicado ao Auto Esporte, principalmente, quando o time se aproxima das primeiras colocações. Aconteceu duas vezes com o treinador Jazon Vieira e uma com o técnico Índio Ferreira.

Relacionadas