sexta, 23 de abril de 2021

Botafogo
Compartilhar:

Warley inicia carreira fora dos gramados e vai atuar na gerência de futebol do Belo

Allan Hebert / 03 de outubro de 2017
Foto: RAFAEL PASSOS
Maior ídolo da história recente do Botafogo, com três títulos paraibanos e um Brasileiro da Série D do currículo, Warley pendurou as chuteiras após a eliminação do Belo na Série C do Brasileirão, mas não ficou muito tempo parado. O ex-atacante tem a missão de repetir o bom trabalho desenvolvido dentro dos gramados agora fora das quatro linhas, como gerente de futebol do Alvinegro da Estrela Vermelha.

Na história do futebol há vários jogadores que fizeram muito sucesso nos gramados, mas que não conseguiram repetir o bom desempenho como gestores dos clubes em que fizeram história. Um exemplo claro é o de Roberto Dinamite, considerado por muitos o melhor atleta da história do Vasco da Gama, mas que como presidente acabou rebaixando a equipe para a Série B. Warley sabe da responsabilidade, mas se apega em outros nomes e espera fazer sucesso na função.

Warley nem chegou a anunciar oficialmente sua aposentadoria dos gramados, mas com a proposta de seguir no clube, agora em outra função, o ex-jogador de 39 anos não pensou duas vezes e aceitou a missão de assumir a gerência de futebol do Alvinegro da Estrela Vermelha.

“Estou muito feliz com o anúncio. Sei que a responsabilidade vai ser muito grande, mas a gente tem que pensar também que são poucos jogadores que tem essa felicidade de quando encerrar a carreira já ter uma chance de seguir trabalhando no clube. Eu peguei essa oportunidade que o Botafogo me deu, esse plano de carreira, e não tinha como não abraçar o projeto”, explicou.

W9 entrou em campo no último jogo do Belo na temporada, na vitória por 3 a 2 sobre o Sampaio Corrêa-MA, que livrou a equipe paraibana do rebaixamento à Série D do Brasileirão, mas admitiu que tem interesse em fazer uma despedida oficial dos gramados. No entanto, segundo o novo cartola, em tom de brincadeira, a eventual partida vai depender da agenda de grandes nomes do futebol brasileiro.

“Eu estou trabalhando nessa questão e é claro que é importante fazer. Vamos analisar os projetos, ver a agenda do Ronaldinho Gaúcho, do Cafu, do Rivaldo, para que a gente possa chamar alguns nomes com quem a gente trabalhou. Mas agora o foco é na nova função e tentar montar um elenco forte para 2018. O Warley agora fica em segundo plano”, concluiu.

Relacionadas