quarta, 19 de dezembro de 2018
Série D
Compartilhar:

Derrota para o Brasiliense não desanima treinador da Raposa

Lídice Pegado / 19 de junho de 2018
Foto: Antônio Ronaldo
Com o empate da Seleção Brasileira no jogo de estréia da Copa do Mundo, contra a Suíça, o fim de semana não foi dos mais animados para muitos torcedores brasileiros. Para os torcedores do Campinense, em especial, o motivo de preocupação é dobrado: trouxe para casa a derrota contra o Brasiliense/DF. Jogando fora de casa a primeira partida das oitavas de final, perdeu por 1 a 0, mesmo fazendo uma atuação equilibrada diante do adversário, e agora precisa de mais do que dedicação para tirar o prejuízo na próxima segunda (24), no Amigão.

“A gente já sabia que o jogo ia ser dessa maneira. Conversamos, trabalhamos e treinamos muito bola parada. Agora futebol é o detalhe da oportunidade que você tem. Nós tivemos duas, três oportunidades no primeiro tempo e infelizmente não conseguimos fazer. Num lance de bola parada crucial, é quase o detalhe do último gol que o Brasiliense fez contra o Sergipe, nós acabamos tomando um gol numa situação avisada”, disse Ruy Scarpino, treinador do Campinense.

A reapresentação do time, que chegou de Brasília no fim da tarde de domingo (17), está marcada para a manhã de hoje, às 9h. Sem nenhum jogador suspenso e com a volta do atacante Danillo Bala, que havia se ausentado durante 35 dias após uma cirurgia na clavícula e já atuou na partida na casa do adversário, ainda há esperanças para a nação rubro-negra.

O time precisa ganhar com dois gols de diferença para compensar o prejuízo e se encontrar ainda mais próximo do acesso. Se a vitória da Raposa for somente por um gol de diferença, a decisão é somente para quem tem nervos e coração em dia, pois vai para os pênaltis.

Os jogadores reconhecem que as fases de mata-mata são cada vez mais difíceis, mas não desanimam. Com o foco e o entrosamento da equipe, as expectativas de passar para as quartas de final com êxito são grandes. O time tem praticamente uma semana para se preparar e arrancar a classificação do Jacaré. “O importante é estar confiante de um grande jogo em casa e de uma revirada. O grupo é bom, tem qualidade para isso”, concluiu o treinador.

Na série D de 2017 os resultados da Raposa foram diferentes deste ano. Ano passado, o Campinense só balançou a rede sete vezes, levou seis gols e teve duas derrotas. Além disso, a eliminação veio logo no primeiro mata-mata, contra o Fluminense de Feira, decidindo a fase no Jóia da Princesa.

Já para 2018, as configurações são diferentes e mais animadoras. Até agora são 13 gols a favor, somente cinco gols contra, uma fase a mais, decisões dentro de casa e 3º lugar no ranking geral da quarta divisão. Para os raposeiros de plantão, o sonho de subir está mais perto do que longe de se realizar.

Relacionadas