sábado, 26 de maio de 2018
Série C
Compartilhar:

Próximo adversário do Belo, Remo foi o clube que mais levou torcida ao estádio

Redação / 15 de agosto de 2017
Foto: MÁRIO QUADROS/DIÁRIO DO PARÁ
É bem verdade que as regiões Norte e Nordeste do país chamam a atenção por seus clubes de tradição e, ainda mais, pela presença de público nos estádios de futebol. A paixão é tanta que as arquibancadas das praças esportivas nordestinas promovem lindos espetáculos. No próximo domingo, o Botafogo terá um confronto direto contra o Remo, adversário que assim como o Belo, sonha em ainda chegar ao G4.

Na atual temporada ninguém levou mais torcedores para as arquibancadas do que o clube paraense. Até aqui, o Leão do Norte atuou sete vezes no Mangueirão, e é responsável por um público total de 60.062 torcedores, uma média de 8.540 remistas por partida. Na segunda posição aparece o Fortaleza com 59.284, uma média de 8.469.

Já o Alvinegro da Maravilha do Contorno, dentre os 20 clubes da competição nacional, aparece na digna terceira vaga com um público de 51.610 nas sete atuações dentro do Almeidão, com média de 7.373 torcedores. Se levarmos em comparação com o ano passado, o time teve um aumento de quase 8,93%. Número considerável bom, haja vista o preço do bilhete, medo da violência e até aqui, jogos sem caráter realmente decisivo.

A força da massa azulina reflete dentro de campo. Até aqui, o Fenômeno Azul detém um aproveitamento de 57,1%, um dos melhores da terceirona. E no atual momento da temporada - faltando apenas quatro partidas para o fim da primeira fase, onde cada partida é uma verdadeira decisão - o comparecimento do torcedor é um combustível a mais para uma arrancada final.

O time paraibano tem um dos piores aproveitamentos quando o assunto é jogar longe de seus domínios, e na décima quinta rodada mais uma vez – a oitava no certame – vai enfrentar um oponente forte, dentro e fora do campo, e longe do apaixonado da Estrela Vermelha, os números são preocupantes. O Belo tem apenas 19% de aproveitamento, com uma vitória, um empate e cinco derrotas.

Se a pretensão ainda é de subir para a Série B em 2017, a equipe de Ademir Fonseca vai precisar esquecer os números e vencer, algo que só aconteceu uma vez no campeonato até aqui. As festas que a torcida tem feito no Almeidão, mesmo com a fraca campanha, pode ser o incentivo que falta ao paraibano.

Relacionadas