segunda, 20 de maio de 2019
Futebol
Compartilhar:

Raposa quer usar o fator casa para ficar com o título

Lídice Pegado / 10 de abril de 2019
Foto: Samy Oliveira/Campinense
No dia 29 de março, o Campinense e a Federação Paraibana de Futebol (FPF) foram punidos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com multa e interdição do estádio Amigão para jogos oficiais, depois que o Botafogo/RJ contestou a renda declarada por ambos na estreia da Copa do Brasil, mas nessa terça-feira (9) o STJD concedeu o efeito suspensivo da interdição do estádio.

Com a liberação, o Campinense poderá jogar o duelo da final dentro do Amigão, considerado palco de festas da Raposa. O goleiro Wagner Coradin recebeu a notícia com alegria e com uma preocupação a menos para a partida extremamente importante, afirmando que jogar no estádio será um fator crucial para o desempenho do Rubro-negro.

“Será muito importante poder jogar no Amigão por causa da estrutura de lá. Para a torcida é crucial poder assistir ao jogo dentro de casa, tenho certeza que vai lotar e isso nos impulsiona. É o fator casa que vai nos ajudar bastante no desempenho porque buscaremos fazer o resultado para poder conseguir vantagem”, comentou Wagner.

Mesmo com esse problema resolvido, Wagner ainda afirmou que o peso do atraso salarial ainda não foi tirado e que, querendo ou não, esse problema extracampo acaba afetando nos jogos do Campinense, mesmo com o elenco se concentrando e tentando esquecer esse detalhe dentro das quatro linhas.

“Infelizmente, tiramos o peso da classificação e do estádio, mas a questão salarial infelizmente pesa um pouco na nossa cabeça. Nós, pais de família, temos nossas responsabilidades e querendo ou não isso é uma preocupação, mas é um problema fora de campo. A partir do momento que entramos no jogo, temos nos doado ao máximo e tentado focar ao máximo”, disse o arqueiro.

Relacionadas