terça, 16 de julho de 2019

Idioma tem complicado a comunicação entre técnico e jogadores na Perilima

Lídice Pegado / 05 de setembro de 2018
Foto: Antonio Ronaldo
A Desportiva Perilima está focada no preparo para a Segunda Divisão do Paraibano e é uma das equipes favoritas ao título, devido os grandes nomes contratados para formar o elenco. Um desses é o Ricardo Campos, treinador mexicano a quem foi designado o desafio do acesso. O detalhe é que o mesmo ainda não fala português e os jogadores confessam ter um pouco de dificuldades para compreendê-lo.

Atletas experientes se uniram para escrever uma nova história na Águia de Campina e mistificar o elenco com os menos vividos, passando experiência e vivência do bom e velho futebol paraibano. Manú, atacante vindo da Primeira Divisão pelo Nacional de Patos, chegou ao time para somar. Para ele, está sendo de suma importância fazer parte da Perilima - time com novos objetivos e uma proposta de trabalho diferente - pois nos últimos anos ele só disputava Segunda Divisão pelo time da sua cidade, o Nacional de Pombal.

Apesar de toda a sua experiência em outros clubes, Manú nunca teve a oportunidade de jogar no exterior e o seu espanhol não é nada fluente. Segundo ele, isso tem dificultado um pouco a comunicação com Ricardo, que também não domina muito bem o português, mas o atacante garante que isso não é motivo para comprometer a qualidade dos treinos e nem muito menos o empenho do grupo.

“Às vezes a gente não entende o que ele quer, mas tem um jogador que passa algumas dicas para nós, que é o Silva. Estamos tentando nos adaptar da melhor forma possível e tem dado certo até aqui”, disse Manú.

Além dele, o zagueiro Márcio é um dos reforços experientes que compõe a formação. Ele foi campeão da Segunda Divisão, no ano passado, pelo Nacional de Patos, levando-o à Série A desse ano, mas disputou a Primeira pelo Atlético de Cajazeiras. Apesar de também sentir dificuldades na comunicação, diz que o grupo tenta relevar esse fator, para não deixar atrapalhar no objetivo final da Perilima.

“Ele (Ricardo Campos) é mexicano, fala espanhol, e nós não entendemos bem. Mas o grupo tenta relevar e compreender da melhor maneira possível, afinal, precisamos da experiência dele para chegar ao acesso”, comentou o zagueiro.

Faltando 11 dias para o início do Campeonato, hoje a Perilima fará um jogo-treino contra a equipe sub-19 do CSP, em João Pessoa. No último fim de semana, o time de Campina Grande enfrentou o Confiança de Sapé e empatou em 1 a 1.

A estreia da Perilima está programada para o próximo dia 16 de setembro diante da Picuiense, no Estádio Presidente Vargas.

Relacionadas