terça, 21 de maio de 2019
Futebol
Compartilhar:

Lesões viram rotina no elenco do Campinense

Lídice Pegado / 08 de fevereiro de 2019
Foto: Samy Oliveira/Campinense
Durante os primeiros jogos do Campinense no Campeonato Paraibano, o departamento médico do clube ficou bem movimentado. Ao todo, cinco jogadores já passaram pelo DM lesionados durante quatro rodadas e o fisioterapeuta do time Leonardo Felix afirmou que inúmeros fatores contribuem para que os atletas se machuquem, não conseguindo identificar nenhum motivo em comum.

“É um multifatorial complexo praticamente impossível de determinar o que causam lesões. Existem riscos de lesões intrínsecos, que são motivados pelo organismo do próprio atleta, como genética e estrutura óssea e ligamentar, e extrínsecos que não competem ao atleta como campo, tipo de chuteira, forma que joga, dentre outros fatores”, disse o fisioterapeuta.

Os titulares que já passaram pelo DM foram os atacantes Lopeu, Afonso e Chaveirinho – esse último ainda passará pelo menos um mês se tratando de uma segunda lesão no musculo adutor da coxa esquerda – o meia Alisson Xabala e o lateral-esquerdo James. Apesar disso, o técnico rubro-negro Francisco Diá lamenta as baixas, mas procura não se preocupar com a montagem do elenco para os compromissos do time. Domingo, ele terá um difícil duelo contra o Treze, às 16h, no Amigão.

“Desde o início tivemos dificuldades com isso para montar o elenco que queremos, o time ideal. No primeiro jogo já tivemos uma lesão, tivemos jogador como Xabala que se machucou sem nem ter estreado, mas isso não é motivo de preocupação, porque montamos um grupo com jogadores capazes de suprir todas as nossas necessidades”, afirmou Diá.

O preparador físico afirmou que o clube trabalha no intuito de diminuir o número de lesões, mas nem sempre isso é possível.

“Nós tentamos minimizar os números com exercícios preventivos, mas não conseguimos controlar tudo até porque nem tudo o DM fica sabendo. Os treinos são de alto rendimento e, em alguns casos, os jogadores sentem desconforto, mas não falam nada por receio de perder alguma posição e acabam machucando durante os jogos”, comentou Leonardo.

Relacionadas