domingo, 15 de setembro de 2019
Futebol
Compartilhar:

Gervany diz focar em resolver problemas judiciais do clube

Lídice Pegado / 26 de junho de 2019
Foto: João da Paz / PB esportes
Sem futebol profissional por pelo menos mais quatro meses, o presidente interino do Campinense, Paulo Gervany, que também é presidente do Conselho Deliberativo, tem uma preocupação como prioridade: resolver problemas judiciais. Ele assumiu o cargo dia 17 de junho e já está fazendo tudo o que precisa para convocar novas eleições.

No dia 26 de maio ocorreram as eleições e a chapa eleita foi a de Erivaldo Ferreira como presidente e Antônio Carlos como vice-presidente. Eles não chegaram a ser empossados e quando tomaram conhecimento da dimensão dos problemas administrativos e financeiros do clube, se julgaram incompetentes para solucionar e decidiram abrir mão da diretoria executiva no dia 15 de junho, deixando a Raposa sem mandatário.

Com tantos problemas financeiros e judiciais, especula-se fora dos arredores da Toca da Raposa a possibilidade de ser decretada a falência do Campinense Clube e reabrir o time com outra razão social e CNPJ, mas o atual presidente descartou completamente essa possibilidade, afirmando que isso se configura como tentativa de burlar a legislação.

“Essa possibilidade nem se passa pela minha cabeça. Seria burlar a legislação e o Campinense não compactua com isso. As nossas dívidas existem, nós a assumimos e iremos pagá-las. Para isso, existe nosso departamento jurídico trabalhando a pleno vapor, para que possamos resolver de forma legal. Mudar nossa razão social e CNPJ é totalmente inviável e se configura, talvez, como fraude fiscal”, afirmou Paulo.

Esse já é o quinto presidente que passa pelo Campinense no último ano. Segundo Paulo, existem três fatores que precisam ser postos em prática para conseguir reerguer o clube, e garantiu que os problemas do clube não são administrativos e nem financeiros, mas são judiciais, por isso, sua maior prioridade é manter o foco nessa questão.

“Esse momento requer atenção, foco e união. São os três fatores que precisam ser levados em consideração para reerguer nosso clube. Tendo em vista que nosso problema não é nem administrativo e nem financeiro, daremos prosseguimento ao trabalho com foco nas ações judiciais, para que a gente consiga chegar à pré-temporada com fôlego para montar um time pronto para disputar o Campeonato Paraibano do ano que vem”, disse Paulo.

Ainda essa semana o clube formará a comissão eleitoral, que formulará o calendário das novas eleições com lançamento de edital, período de inscrição de chapas e votação, como reza o estatuto do clube. A eleição deverá acontecer em um prazo de, no máximo, 90 dias.

 

Relacionadas