terça, 24 de novembro de 2020

Futebol
Compartilhar:

Eliminação precoce na Série D completa ano de decepções na Raposa

Gabriel Botto / 04 de junho de 2019
Foto: Samy Oliveira/Campinense
A temporada da Raposa já tem o fim marcado no calendário. Em apresentações pífias, o Campinense não conseguiu se classificar para a segunda fase da Série D, entrando de férias antes do esperado pela torcida, comissão técnica e diretoria. A equipe vai apenas cumprir tabela na próxima rodada contra o Vitória-PE, no Estádio Amigão. Em um ano irregular, o Rubro-Negro caiu na primeira fase da quarta divisão pela segunda vez, em sete edições disputadas.

Especificamente em 2019, o Campinense viveu momentos de muita tensão ao longo da curta temporada da equipe. A começar da montagem do elenco, onde problemas financeiros limitaram bastante o trabalho da comissão técnica da Raposa, que na época era comandada pelo treinador Francisco Diá. Questões políticas também afetaram o clube, que viveu uma instabilidade no corpo diretivo, após o banimento do ex-presidente William Simões, após o julgamento dos envolvidos na Operação Cartola no STJD, quando assumiu interinamente Antonino Macedo, que convocou novas eleições, vencidas pelo atual presidente, Erivaldo Ferreira.

Os problemas administrativos desencadearam em péssimas apresentações dentro de campo. Em 22 jogos incluindo as disputas do Campeonato Paraibano, Copa do Brasil, Pré-Copa do Nordeste e Série D, a Raposa acumulou apenas sete vitórias, cinco empates e dez derrotas, ficando com um aproveitamento de 39,3% em toda a temporada.

Após as disputas do Campeonato Paraibano e passado o início da Série D do Campeonato Brasileiro, a diretoria da Raposa resolveu apostar na demissão do então treinador Francisco Diá, e contratando peças pontuais para o elenco rubro-negro. Chegaram ao Renatão o técnico Jaelson Marcelino, acompanhado do experiente jogador Richarlyson, além dos atacantes Flávio Carioca, Lúcio Curió e Carlos Caaporã, além do meia Soares e do lateral-esquerdo Jackinha.

Porém, os reforços não surtiram o efeito esperado, visto que a Raposa precisava de uma recuperação muito rápida devido à necessidade de vencer jogos na primeira fase da Série D para se classificar para a segunda fase. Mas dois tropeços em uma semana contra o ASA de Arapiraca-AL, principal adversário da Raposa no Grupo A7 da quarta divisão, complicaram de vez a vida da Raposa, que foi obrigada a vencer o líder da chave, Jacuipense-BA, fora de casa.

O Campinense não conseguiu a façanha contra o único invicto e com 100% de aproveitamento de seu grupo, adiando mais uma vez o sonho de voltar a disputar a terceira divisão do futebol nacional, competição que não disputa desde 2011, ano em que foi rebaixado para a Série D.

Ao menos isso. Apesar das irregularidades na temporada deste ano, uma conquista importante para equipe veio após conseguir chegar à final do Campeonato Paraibano, que é a garantia de disputar a Copa do Brasil do ano que vem, competição que gera um aporte financeiro importante, além de disputar a Série D novamente em 2020.

Relacionadas